top of page

Setor sergipano de petróleo e gás tem perspectivas de crescimento



Importante para o desenvolvimento do estado, o setor de petróleo e gás tem grandes expectativas de crescimento para os próximos anos em Sergipe. Quem falou sobre o tema foi o superintendente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, Marcelo Menezes, em entrevista ao programa Linha Direta, nesta quinta-feira (13). O superintendente afirmou que “Sergipe vai se firmar como um centro de distribuição de gás que atenderá a todo nordeste”.


De acordo com Marcelo, o setor de gás deverá ser um grande propulsor do desenvolvimento do estado de Sergipe nos próximos anos, o que pode ser explicado por algumas ações que estão sendo desenvolvidas. “Temos o projeto Sergipe Águas Profundas, que está sendo desenvolvido pela Petrobrás e contará com dois navios plataformas, produzindo, cada um deles, em torno de 120 mil barris de óleo por dia. Temos também um gasoduto de escoamento, que vai trazer o gás produzido no mar para a terra, no volume de 18 milhões de metros cúbicos de gás por dia”, relata o superintendente.


Tais ações serão capazes de atrair empresas para o estado e, consequentemente, gerar empregos para os sergipanos. Além disso, o superintendente ressalta também que Sergipe possui o primeiro terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) privado do Brasil, localizado na Barra dos Coqueiros, “é um navio que fica estacionado a 6 km da costa. Ele tem uma conexão pelo fundo do mar que traz gás para a terra”. Segundo Marcelo este navio atende, a principio, a Usina Termoelétrica Porto de Sergipe 1.


“Também está sendo feita, a partir do final desse ano, a construção de um gasoduto de 25 km, que conectará esse terminal de GNL com a malha de transporte de gás da região nordeste”. O terminal recebe o gás vindo do exterior, em estado líquido, e, de acordo com a necessidade, transforma o gás para o estado gasoso. Uma vez conectado à malha de transporte nacional, o gás poderá ser distribuído por todo nordeste.


Outro ponto levantado pelo superintendente foi referente à retomada da produção do petróleo nos campos terrestres em Sergipe, que foi paralisada por conta da mudança da empresa que operacionaliza o polo Carmópolis. Segundo Marcelo a empresa Carmo Energy adquiriu o polo e irá investir 800 milhões de dólares nos próximos cinco anos, isso para que "a produção de petróleo em terra em Sergipe volte ao seu ponto mais alto, que aconteceu há alguns anos atrás, e imaginando chegar talvez a até 30 mil barris de óleo por dia, o que é muito significativo e vai gerar de imediato em torno de 3 mil empregos”, afirma.


Por Fernanda Santiago

Portal C8 Notícias

Foto: Agência Petrobrás

bottom of page