Sergipe perde quase 2 mil vagas com carteira assinada nos primeiros meses de 2022


Em Sergipe, o primeiro trimestre de 2022 registrou saldo negativo na geração de empregos formais. O estado perdeu quase 2 mil vagas com carteira assinada entre janeiro e março. O mercado sergipano registrou mais demissões do que contratações durante o período. Esses dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.


O saldo foi de 27.844 mil admissões e 29.814 mil demissões nos três primeiros meses deste ano. O número do primeiro trimestre é menor do que o do ano passado, quando Sergipe perdeu 353 mil postos com carteira, segundo dados atualizados pelo Governo.


No mês de março, foram perdidas 2,5 mil vagas. O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada caiu de R$ 1.910,79, em fevereiro, para 1.872,07 em março.


Especialistas do mercado dizem que a perda de ritmo na abertura de postos observada é por conta da base de comparação. Os analistas entendem que se a comparação fosse em 2021 com 2020, haveria mais espaço para que os números maiores fossem gerados.


A análise por setor demonstra que a Construção Civil e os Serviços tiveram desempenho favorável na geração de emprego em Sergipe no primeiro trimestre. No Comércio, a Agropecuária e a Indústria houve mais demissões do que novas contratações.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil