Sergipe já possui transmissão comunitária da varíola dos macacos


Na última sexta-feira, dia 02, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou os primeiros 3 casos da varíola dos macacos em Sergipe. Ainda de acordo com a instituição, a transmissão da doença já é considerada comunitária, ou seja, pode ocorrer em uma determinação região do estado.


O resultado foi confirmado após as amostras serem repassadas pela Fiocruz do Rio de Janeiro. Os pacientes são um homem de 24 anos, uma adolescente de 12 anos e uma mulher de 28 anos, todos de Aracaju. Eles estão em isolamento domiciliar e estado de saúde deles é estável.


De acordo com o Diretor em Vigilância de Saúde, Dr. Marco Aurélio Gois, a transmissão já é considerada comunitária, mas, diferente da covid-19, o contagio é bem mais próximo. “Com o coronavírus tínhamos a questão das aglomerações. No caso da varíola dos macacos, a transmissão se dá com o contato de pessoas infectadas. Mesmo assim, as medidas devem ser as mesmas: lavagem das mãos e uso de máscara, principalmente das pessoas com saúde um pouco mais frágil”, destacou.


Os sintomas da doença são febre, dor de cabeça, aumento de linfonodos e lesões de pele. A erupção passa por diferentes estágios e pode parecer com catapora ou sífilis. O período de incubação é tipicamente de 6 a 16 dias, mas pode chegar a 21 dias. Quando a crosta desaparece, a pessoa deixa de infectar outras pessoas.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil