“Senador que só vive de discurso não resolve”, dispara André Moura


O ex-deputado federal e atual Secretário da Representação do Rio de Janeiro em Brasília, André Moura, foi o entrevistado do Programa “Cultura News” da WebTV Cultura nesta terça-feira, dia 11. Ele falou sobre assuntos relacionados ao cargo que atua, situação da pandemia, bancada sergipana no Senado e cenário para 2022.


De início, André foi questionado sobre a atuação dele em defesa do Estado do Rio do Janeiro, mesmo após o impeachment de Wilson Witzel e a posse de Cláudio Castro. O secretário afirmou que continua no cargo fazendo a ponte com a Capital Federal. “Estamos conseguindo bons resultados para o Rio em diversos aspectos. Seguimos nesta missão pela experiência e amizades em Brasília. Pra mim é um orgulho ser representante de um importante Estado”, declarou.


Sobre a pandemia, o ex-parlamentar sergipano disse que a situação no país é muito preocupante. André afirmou que, sem querer citar lados políticos, o Governo Federal não se empenhou. “Era preciso acreditar na letalidade e no perigo do vírus. Faltou planejamento. O que vemos é a grande quantidade de casos e mortes. Tudo poderia ser diminuído com planejamento. No mais é proteção e vacina o quanto antes”, pontuou.


Perguntado sobre a busca de recursos para Sergipe, André Moura declarou que ainda é facilitador de contatos para prefeitos, seja da capital e do interior. “O que nós vemos são diversas obras em Aracaju com apoio de nosso mandato. Todos os recursos em parceria com o Prefeito Edvaldo Nogueira. E mais recursos continuam chegando não só em Aracaju, como também no interior do estado. Isto tudo é fruto de conhecimento”, destacou.


Sobre o Senado, o ex-deputado lembrou que a bancada, em conjunto com os demais parlamentares sergipanos da Câmara, precisa se empenhar mais para que verbas possam chegar em maior quantidade. Ele também avaliou os 3 Senadores de Sergipe. “Considero a Senadora Maria do Carmo uma grande parlamentar e que acompanha as atividades, com ritmo acelerado e que atende prefeitos para viabilizar recursos. O Senador Rogério Carvalho, mesmo chegando à liderança do partido e, agora, na mesa do parlamento, tem certas dificuldades para levar recursos. Isso é natural, pois é oposição ao Governo, mas faz seu papel. Já o Senador Alessandro Vieira não posso falar muito. Não ocupa nenhum espaço relevante. É um delegado que não conhece a realidade de Brasília. Está meio perdido no parlamento. Só viver de discurso não resolve”, dispara André.


Ao final, Moura comentou sobre 2022. Ele disse que ainda é cedo e que, no momento, não há clima para discutir politica devido a pandemia. Já sobre qual cargo deve disputar, ele prefere dialogar com grupo, mas há possibilidade de preencher vaga no Senado ou como Deputado Federal. “Se for para voltar à Câmara, é uma honra. Mas se for para o Senado, também seguirei sem problemas”, lembrou. Já sobre alianças, ele disse que não está nem em situação e nem na oposição. “Tudo depende de muito diálogo. Tenho bom relacionamento com o Governador Belivaldo Chagas e com demais nomes”, pontuou.



Portal C8 Notícias


Foto: Agência Brasil