“Se ele não teve votos, o partido não teve culpa”, diz Airton Costa sobre Paulo Márcio


Na manhã desta quarta-feira, dia 14, o Programa “Linha Direta” entrevistou o Presidente do Diretório Estadual do Democracia Cristã em Sergipe, Airton Costa. Ele comentou sobre as definições para o partido para o ano que vem e do ex-candidato a Prefeito de Aracaju, Delegado Paulo Márcio, ,que deixou a sigla já na reta final da campanha de 2020.


O líder do partido no estado comentou sobre a organização do agrupamento. Para ele, está havendo um trabalho intenso para se formar chapa forte para a disputa de 2022. “Buscamos ter bons nomes para disputar uma vaga na Assembleia, na Câmara Federal e, se for possível, não descartamos para Governador”, explicou Airton Costa.


A intenção do partido, de acordo com Airton, é mostrar uma boa alternativa para o eleitor brasileiro e sergipano. “Temos nomes para a disputa governamental. Além de meu nome temos o medico Dr. Antônio Cláudio e demais nomes. Na parte nacional temos o nosso companheiro José Maria Eymael. Não é fácil o trabalho, mas vamos em frente”, detalhou.


Airton Costa lembrou que antes de lançar nomes a ideia do Democracia Cristã é buscar projetos para administrar bem o estado. “Vivemos um momento muito tenso no Brasil e em Sergipe não é diferente. Mais de 500 mil mortes pela covid-19. Precisamos encontrar novo rumo. Vivemos numa sociedade polarizada e isso não é bom. Precisamos ter um pacificador a nível de Sergipe e de Brasil”, comentou o líder da sigla.


Com relação ao Governo do Estado, o Presidente do DC disse que ficou a desejar principalmente na pandemia. “Não temos testes para todos. UTI ate dia desses superlotadas. Faltou respirador. Hospital de Campanha cm desvio de recursos. Nosso povo morre e está passando fome e sem emprego. Um auxilio emergencial ridículo. Precisamos ter compromisso com a população urgente”, criticou.


Questionado sobre composição, ele afirmou que é natural, mas o Democracia Cristã tem uma linha. “Não descartamos fazer alianças, isso é comum. No entanto sempre digo que nosso partido não é cabo eleitoral. Pra se juntar é preciso ter um programa de Governo. Se não conseguirmos fazer isso, tranquilamente teremos nomes próprios. Já fizemos isso em outras campanhas, aqui em Aracaju e diversas cidades do interior. Vamos aguardar a reforma eleitoral e esperar passar esse período nebuloso da politica”, lembrou Airton Costa.


Com relação a novos nomes da sigla no estado, o Presidente do Diretório Estadual disse que já fez convites a vários nomes importantes. “Já conversamos com o ex-prefeito de Estância e ex-deputado Ivan leite, Pastor Antônio dos Santos e o empresário Teixeira Caminhões. Começamos a dialogar para que ele e outros possam participar efetivamente da politica”, descreveu.


Ao final o Presidente comentou sobre a candidatura do Delegado Paulo Márcio ano passado. Após a Eleição, ele acabou deixando a sigla por não concordar como o partido foi conduzido na capital. “Se ele não teve votos do povo de Aracaju, o partido não teve culpa de nada. Quem faz a campanha é o candidato. Ele é quem deveria puxar e não a sigla. Os candidatos a vereador do partido não tinham contato com ele. E isso era insustentável. Mas isso já é página virada”, finalizou Airton.



Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão