Saúde de Aracaju oferece tratamento contra o tabagismo


Considerada uma doença crônica, o tabagismo é uma dependência física e psicológica do consumo excessivo do uso do tabaco em suas diversas formas, a exemplo do cigarro, charuto, cachimbo, rapé, narguilé ou fumo mascado. Em Aracaju, a Prefeitura mantém o Programa de Combate ao Tabagismo, que é gerenciado pela Secretaria Municipal da Saúde.


O serviço é oferecido pelo Centro de Especialidades Médicas de Aracaju (Cemar), localizado no Bairro Siqueira Campos, na zona oeste da cidade. Segundo a médica pneumologista do Programa de Tabagismo, Ana Paula Argolo, as pessoas devem entender que o uso da nicotina é prejudicial à saúde. “É preciso sair da dependência química. Aqueles que se dispõem à mudança ficam mais saudáveis, a pessoa passa a se sentir melhor, os alimentos ficam mais saborosos, a respiração e a hipertensão arterial também melhoram”, comentou a especialista.


Questionada sobre o uso de formas novas de fumo, a exemplo de narguilé e “cigarro eletrônico”, a médica disse que, independente de que seja, todos são nocivos. “Uma seção de narguilé corresponde à exposição aos componentes tóxicos presentes na fumaça de, aproximadamente, 100 cigarros. Já o cigarro eletrônico, é conhecido no Brasil pelo termo Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs). São chamados também de ‘vapes’, e-cigarros, e-cigs, e-cigarettes ou ‘pen drive’. Nenhum método é menos ruim. Todos causam danos a saúde”, alegou.


O Programa de Tabagismo é um serviço porta aberta ofertado no Cemar do Siqueira Campos. O estabelecimento está localizado na Rua Bahia, onde funcionava o antigo INAMPS. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8 da manhã às 4 da tarde. Os interessados precisam residir na capital e apresentar o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).


Portal C8 Notícias

Fotos: AAN