“Retirar recursos é um risco para toda a nação”, diz Reitor da UFS


O Reitor da Universidade Federal de Sergipe, Professor Dr. Valter Santana, participou do Programa “Linha Direta” com Jairo Alves de Almeida nesta sexta-feira, dia 10. Ele comentou sobre as ações da instituição e a importância dos projetos colocados à disposição da sociedade sergipana.


No começo, o Reitor da UFS falou dos 54 anos da instituição, completados no dia 15 de maio. Para o Professor, a Universidade Federal foi fundamental para que Sergipe pudesse despontar. “Quando ela surgiu em 1968, a nossa UFS foi planejada e pensada para o desenvolvimento. Antes tínhamos faculdades avulsas. Depois de um tempo foi formado o Campus do Rosa Elze. No fim dos anos 70 era inimaginável levar uma universidade pública para aquela região. Mas hoje é uma grande realidade, que desenvolveu a região”, destacou.


Outro ponto abordado na entrevista foi o projeto de interiorização da Universidade Federal. Para o Professor, a intenção é de levar ainda mais perto da sociedade tudo que foi aprendido e planejado na instituição. “Hoje a UFS está nas principais regiões do estado, como Itabaiana, Nossa Senhora da Glória e Lagarto, que tem o Campus da Saúde. Além disto temos Laranjeiras e demais pontos de ensino à distância. Tudo isso para que a universidade não seja algo preso aos grandes centros, levando o saber a todos e cada vez mais longe”, informou.


Questionado sobre a retomada da UFS após 2 anos de pandemia, o Reitor disse que todos os serviços e atividades estarão 100% presencial a partir do segundo semestre. “Já estamos no recesso de meio de ano e com muitos trabalhos de forma presencial. Outra medida é que o Restaurante Universitário estará em todos os nossos Campi. Tudo isso para que nosso aluno permaneça o maior tempo possível nos nossos espaços de ensino”, afirmou Professor Valter.


Ainda sobre a questão da pandemia, o líder da UFS destacou que os protocolos serão mantidos, principalmente nos locais fechados. “Continuaremos disponibilizando de álcool gel e de pontos para higienização das mãos. O uso de máscara segue obrigatório em salas de aula e demais locais fechados. Nos outros espaços já pode existir essa flexibilidade. Praticamente 95% do publico da Universidade Federal de Sergipe já está totalmente imunizado. E foram registrados poucos casos de covid-19 na comunidade. Isso mostra a importância da imunização e dos cuidados individuais de nossos estudantes, professores e servidores”, declarou.


Outro ponto lembrando na entrevista foi sobre a inauguração da “TV UFS”, que entrou no ar no dia 31 de maio. A principio ela só retransmite a programação da TV Brasil de Brasília. “Estamos contando com muitas parcerias, a exemplo da Fundação Aperipê, que nos cedeu uma parte da torre para colocarmos a nossa antena. Todo nosso complexo de transmissão já está sendo pronto. Aos poucos e com muita articulação de verba, vamos colocar este sonho da TV que já vem desde a época que surgiu a produtora da UFS”, informou o Reitor.


Ao final, ele comentou sobre o corte de verba anunciado pelo Governo Federal para todas as instituições de ensino, a exemplo da UFS e também do Instituto Federal de Sergipe. No entendimento do Reitor, essa redução de investimentos pode prejudicar ainda mais o funcionamento da instituição. “No começo eram R$ 15 milhões a menos. Já recebemos a notícia ontem que mais R$ 4 milhões serão cortados. Ou seja, todos os projetos e inciativas planejadas no começo do ano estarão prejudicados. Considero isso um grande risco para a instituição. Retirar recursos de quem forma à sociedade é um risco para toda a nação. Fazemos nossas economias em diversos setores, mas com menos verba, fica muito complicado para a UFS seguir adiante”, lamentou o Professor Dr. Valter.



Portal C8 Notícias

Foto: UFS