Projeto pode retirar paridade entre professores ativos e aposentados


Na manha desta segunda-feira, dia 14, o Presidente da Associação dos Docentes de Sergipe, Professor Francisco Andrade, participou do “Linha Direta”. Ele comentou sobre proposta que deve ser enviada pelo Governo do Estado a Assembleia legislativa, no que diz respeito a retirada da paridade salarial entre os professores que estão na sala de aula e aposentados.


No entendimento do líder classista, o ato chega a ser um desrespeito aos professores do estado. “São propostas indesejáveis e que devemos lutar para que não passe a frente. Isso vai permitir toda uma dissonância salarial jamais vista entre quem está na sala de aula e quem deu a vida pelo ensino”, lembrou o Professor Francisco.


No entendimento do docente, a categoria não teria o mesmo nível de pagamentos. “Na verdade seriam abonos, de 23% para quem está na ativa e de apenas 10% para os inativos. Isso é impensável e queremos que os deputados não aprovem tal medida para não prejudicar ainda mais aos professores sergipanos”, alegou.


Ao final do “Linha Direta”, Superintendente de Comunicação do Estado, Givaldo Ricardo, respondeu a alguns questionamentos colocados pelo professor Francisco. Ele afirmou que a proposta ainda está sendo discutida e que não irá de imediato para a Alese. “É preciso estudos mais aprofundados, mas não há perspectiva”, comentou.


Questionado se a nova lei do ICMS, sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro, poderia atrapalhar o pagamento, o Superintendente afirmou que sim. “Sergipe deixaria de arrecadar cerca de R$ 370 milhões. Não só para os professores, mas isso seria ruim para a toda a máquina estatal”, destacou Givaldo.



Portal C8 Notícias

Foto: Albari Rosa/Divulgação