Projeto de subsídio de transporte aquece debate na CMA


Na terça-feira, dia 19, o Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, encaminhou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei que garante o subsidio do transporte público da cidade. A capital sergipana é a única do país que ainda não praticava esta modalidade, que busca redução de preços e melhoria do serviço para o aracajuano. A proposta ainda será votada, mas já causou repercussão no Palácio Graccho Cardoso.

Segundo a líder da oposição, Vereadora Emília Correia (Patriotas), a noticia do projeto que foi enviado à casa parlamentar só foi divulgada a pela imprensa. “Se não fosse a mídia, estaria sem saber. “Como vereadora e representante do povo, devíamos trabalhar de forma equacionada. O projeto era para ser apesentado de forma igual a todos os parlamentares. Mas aqui não. Só os que são do lado do prefeito é que podem ler o projeto, deixando de fora a oposição. Eles não encaminham cópia para que nós possamos discutir”, reclamou.


Para a vereadora, o valor do subsídio é alto para um serviço que pode não melhorar. “O passageiro de Aracaju e região metropolitana precisa ser respeitado. Só agora, com a corda esticada, é que se fala disto. Onde está a licitação? Eles alegam que estão analisando. Falta interesse. Por isso que os aplicativos e demais transportes tomaram conta. Por causa desse abandono do sistema de transporte”, destacou Emília Correa.

Já para o líder da situação, Vereador Antônio Bitencourt, do PDT, a oposição deveria se somar e não apenas reclamar. “Este é o papel deles. No dia que eles quiserem sentar à mesa agente discute e debate. Não apenas para reclamar. Vejo esses questionamentos desnecessários”, debateu.


O parlamentar disse que o projeto não visa apenas a questão de baratear o combustível. “Uma iniciativa diz respeito ao pagamento antecipado do vale transporte dos servidores da capital. Outro ponto fala da gratuidade das pessoas com deficiência. Enfim, tudo isto será analisado e votado nos próximos dias”, explicou.


Questionado sobre a licitação do transporte, o vereador destacou que não é algo tão simples de se fazer, como imagina os opositores. “Quando vamos discutir vários assuntos, este sempre vem à tona. É preciso responsabilidade para buscarmos um modelo ideal. Em lugar nenhum a licitação é a solução do problema. Pode ajudar mas não resolve. Além disto, temos um consórcio de 4 cidades, onde Aracaju é o responsável. É esta instituição que precisa encampar a licitação”, detalhou Bitencourt.



Portal C8 Notícias

Fotos: CMA