Presidente da FAMES diz que Sergipe pode ser a solução para crise mundial de fertilizantes


O presidente da Federação dos Municípios de Sergipe (FAMES), Cristiano Cavalcante disse que Sergipe poderia fazer parte da solução em meio a esta crise mundial, caso o Projeto Carnalita estivesse ativo. O conflito que acontece no leste europeu entre a Rússia e a Ucrânia pode gerar um forte impacto na agricultura. Com a possibilidade de queda na produção de fertilizantes, principalmente potássio, que, em sua maioria, são produzidos na Rússia e Bielorrusia, e produtores rurais podem sofrer com o desabastecimento.


Localizado entre os municípios de Capela, Japaratuba e Rosário do Catete, o projeto previa adicionar um volume de 1,2 milhão de toneladas por ano, tornando Sergipe uma referência na produção de fertilizantes e mais de R$ 4 bilhões em investimentos, com a possibilidade de expansão.


“O Brasil importa cerca de 90% de todo o potássio que utiliza na agricultura, o restante é extraído em Sergipe, na região do Vale do Cotinguiba. Através da exploração no leste sergipano, além de possibilitar a geração milhares de empregos, a dependência de todo o país na importação desse insumo poderia ser reduzida diante de uma crise como esta, gerada pela Guerra entre a Rússia e a Ucrânia”, explicou.


Ainda segundo Cristiano, com essa crise que impactará o agronegócio, ficou mais evidente a importância de Sergipe para o setor. “


Fonte: Ascom FAMES