“Precisamos ter voz profética para a situação do país”, destaca Jonny Mendes


Na noite desta segunda-feira, dia 28, o cantor e compositor católico, Jonny Mendes, concedeu entrevista ao Programa “Cultura News” da WebTV Cultura. Ele falou sobre a carreira, a importância da música católica nos dias atuais e também sobre o período da pandemia.


O início da carreira e missão musical foi o primeiro ponto abordado. De acordo com Jonny, tudo começou na Paróquia Sagrada Família, em uma região de Brasília, sua terra natal. “Ali eu tocava ainda muito novo, meus pais sempre me conduzindo. Já tinha músicas compostas e cantava na liturgia e catequese, além das Missas. Certo dia uma irmã das Paulinas me ouviu e me convidou a gravar um LP. De lá para cá são 30 anos de uma missão iluminada com ótimas recordações”, descreveu.


Entre os sucessos, o cantor católico lembrou de “Em Nome do Nosso Amor”, do CD “Som e Vida”. “Essa é uma das músicas carro-chefe das minhas apresentações. É a música de vida de muitos casais, não só católicos, mas de todos os cristãos. Até hoje embala corações de casais que se encontram e desejam uma vida juntos”, pontuou.


Perguntado sobre influências musicais, Jonny Mendes disse que vive em uma cidade onde, igual ao país, é uma mistura de ritmos e culturas. “Brasília é conhecida como a capital do rock. Foi lá que surgiram Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, entre outros. Tive minha adolescência também no rock, mas depois descobri tantos ritmos lá. E quando passei a viajar pelo país, aprendi um pouco de tudo, desde o forró do Nordeste ao vanerão do Sul. Nosso país é rico em linguagens musicais e que a música católica pode estar”, destacou.


A mescla entre música e realidade social foi também questionado na entrevista. Para Jonny, é preciso que os cristãos não sigam em silêncio e busquem mudar. “Precisamos sim ter voz profética na nossa canção para mostrar a situação do país. De nada adianta rezar apenas e não se mobilizar para o que aí está. A política deve ser sempre usada para promover a paz. Ela é a forma mais sublime da caridade, de acordo com o nosso Catecismo. Precisamos de pessoas que tenham coragem de entrar no meio político, mas com a devida sabedoria e buscar o equilíbrio em tempos de polarização”, lembrou.


Com relação à pandemia, o cantor religioso disse que foi um momento com dificuldades e descobertas. “Todos que fazem a arte, seja ou não católica, perceberam uma profunda mudança. No começo da pandemia fiz muitas lives, ajudando a arrecadar fundos para colegas também que passavam necessidade. Hoje estamos passando pela pandemia e já tenho trabalho novo. Em breve lançando para todo o público”, confirmou.


Ao final o missionário falou da relação dele com o Estado de Sergipe. Ele disse que, das 3 décadas de carreira, há 25 anos ele vem ao estado. “Foi num evento na antiga Escola Técnica, com Suely Façanha e outros artistas. A Rádio Cultura de Sergipe foi quem me convidou. Até hoje nesses anos todos só faço amigos aqui no estado. Espero voltar mais vezes. Da próxima vez, com fé em Deus, vacinados e de forma presencial”, declarou Jonny Mendes.



Portal C8 Notícias

Foto: TC On-line / Divulgação