Policia Federal e CGU apuram fraude na compra de respiradores


A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União realizaram na manhã desta terça-feira, dia 26, a “Operação Cianose”. A investigação envolve fraude em contratação, desvio de recursos e lavagem de dinheiro na aquisição dos respiradores pulmonares que auxiliariam nas pessoas internadas com a covid-19. Os aparelhos custaram R$ 48,7 milhões e nunca foram entregues.


De acordo com a investigação, o Consórcio Nordeste contratou uma empresa para fornecer os ventiladores pulmonares em abril de 2020, sendo 60 para a Bahia e 30 para cada um dos outros oito estados da região. Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia, todos expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça.


As buscas contaram com a participação de auditores da Controladoria-Geral da União. A auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União verificou que o motivo da escolha da empresa especialista em medicamentos à base de Cannabis não foi devidamente justificado no processo.


Em julho de 2020, a Polícia Civil da Bahia já tinha feito outra operação sobre o caso dos respiradores. A mesma empresa também estava sendo investigada. Em nota, o Consócio Nordeste disse que fez a denúncia após realizar o pagamento pelos aparelhos e não receber. “Estamos aguardando a apuração desse crime, o julgamento e punição dos responsáveis e a devolução do dinheiro aos cofres dos respectivos estados", finalizou.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil