Polícia Federal realiza operação em Sergipe e Pernambuco


Formalizada a parceria, foram disponibilizados R$ 1.500,000 (um milhão e quinhentos

mil reais) para a organização investigada, tendo sido estimado locupletamento ilícito superior

a R$ 400.000 (quatrocentos mil reais), envolvendo o superfaturamento na confecção dos

materiais paradidáticos, bem como ausência de comprovação efetiva de realização dos cursos

profissionalizantes e remessa de informes com quantitativo de alunos inferior ao previsto no

plano de trabalho.

Para comprovação da experiência prévia, a

entidade beneficiária utilizou declarações

ideologicamente falsas; e, em relação aos contratos firmados com cursos profissionalizantes, houve a simulação de cotação de preços para a prestação dos serviços aos jovens, uma vez que as contratações já tinham sido previamente direcionadas. O empenho dos recursos dos Termos de Fomento objeto da presente investigação, deveriam ser aplicados na qualificação profissional e inserção de jovens no mercado de trabalho, por meio de parcerias firmadas com entidades sem fins lucrativos, a fim de promover o bem-estar social; e, a apropriação de verbas públicas, em proveito próprio ou de terceiros, acarreta prejuízo às ações governamentais de cunho social.


Diligências

Por meio da Operação Bartimeu foram cumpridos 09 Mandados de Busca e Apreensão no estado de Sergipe, municípios de Aracaju, Lagarto, Simão Dias, e mais 04 no Estado de Pernambuco, municípios de Lagoa Grande, Petrolina e Recife, envolvendo 45 policiais federais (PF) e 03 auditores da CGU.



Portal C8 Notícias

Fonte e fotos

Comunicação Social da Polícia Federal em Sergipe