“Podemos ir para o Senado se Maria não for”, diz Machado


O ex-deputado e atual Presidente do Democratas em Sergipe, José Carlos Machado, concedeu entrevista ao Programa “Cultura News” da Cultura TV na tarde desta terça-feira, dia 06. Ele comentou sobre a reestruturação do partido em Sergipe e também sobre o que aguardar da sigla em 2022.


Antes de falar sobre a política atual, José Carlos Machado foi questionado sobre um dos projetos que ele lutou quando foi parlamentar em Brasília: a fração do gás de cozinha. Para ele, apesar de ter uma perspectiva, pouco se avançou. “Infelizmente a força das empresas engarrafadoras de gás é gigantesco. Quando uma pessoa vai tocar o botijão de 13Kg, na verdade o vasilhame ainda tem cerca de 200 gramas de gás para acender o fogo. Ou seja, acabo perdendo dinheiro que já falta para comprar um produto caro”, criticou.


Outro projeto que ele lutou com força foi sobre a questão dos terrenos de marinha. Há um mês o Presidente Jair Bolsonaro chegou a comentar sobre mudanças neste ponto. No entanto, o assunto ainda não foi tratado como deveria. “Ainda podemos ver regiões bem distantes do mar que ainda se cobra esta terrível taxa, conhecido como laudêmio. Bolsonaro falou neste assunto, mas bem por alto. O grosso do problema ainda persiste. Agora é pressionar o Governo para que se revogue essa questão toda”, recordou Machado.


Falando de política, o ex-parlamentar disse que está estruturando o Democratas e despertando em muitos nomes o desejo de seguir na área. “Dos 75 municípios, já temos diretórios estruturados em 50. Tivemos bons números nas Eleições de 2020. Estou dialogando, agregando novas forças para que, em breve, tenhamos um DEM renovado, sem esquecer dos nomes que estão no grupo”, pontuou.


Com relação a pedidos do DEM nacional, José Carlos Machado confessou que o diretório quer reforçar as bases elegendo vários nomes em todo país. “Em Sergipe não será diferente. O partido tem que disputar fortemente. Por isso a nossa luta de estarmos reestruturando do Democratas com novos participantes e nomes para disputa de vagas no Congresso”, comentou.


Perguntado se para Senado Maria do Carmo era a escolhida para reeleição, Machado avalia que, por méritos, ela poderia se lançar, mas que respeita a decisão dela. “Ela seria o nome mais forte para o Senado em 2022. No entanto, Maria disse que já não tem mais interesse. Ela tem um belo trabalho e tem reconhecimento no meio dos mais carentes. Mas se ela disser que não, eu posso assumir essa disputa pelo Senado, deixando de lado minha pré-candidatura a Deputado Federal. Temos também o nome de Zé Franco, Luciano Nascimento, Georlize Teles, entre outros”, declarou.


Sobre nomes majoritários, o Presidente do DEM em Sergipe não descarta seguir diálogo com todos os partidos que estiverem alinhados ao projeto, incluindo o Senador Alessandro Vieira. “Não é uma opinião apenas minha, mas é do grupo. Devemos sim conversar com todos os segmentos. No entanto, a decisão final é da Senadora Maria do Carmo, nosso principal nome do DEM com mandato”, concluiu José Carlos Machado.

Portal C8 Notícias

Foto: Agência Alese