Perturbação do sossego é quase a metade de chamadas do Ciosp


O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP) divulgou dados de quantidade de chamados para o 190. Das pouco mais de 74 mil ligações, cerca de 48% foram para as reclamações de perturbação do sossego alheio.


Fazendo comparativos, entre 2019 e 2020 o tipo de crime registrou aumento de 13%. O acompanhamento do Ciosp aponta que a Zona de Expansão da capital é o local com maior número de ocorrências de perturbação do sossego. Mosqueiro e Areia Branca são os pontos de maior incidência.


Durante o período da pandemia, o centro registrou queda de casos. Em 12 meses houve redução de 7%. Geralmente os pedidos junto ao 190 ocorrem com maior frequência entre a noite de sexta-feira e o domingo. Entre os dias 30 de julho e 1º de agosto o Ciosp recebeu 1050 chamados de perturbação de sossego alheio, aumento de 65%.


De acordo com o comandante do Batalhão de Turismo, Tenente-Coronel Jorge Cirilo, não existe horário fixo para o silêncio e o sossego. “Equivocadamente muitas pessoas acham que só não pode fazer barulho depois das 10 da noite. É uma informação inverídica. Qualquer horário pode ser destinado ao sossego e ao descanso. Pedimos a conscientização das pessoas que evitem esses atos que são considerados crime.


Quem se sentir prejudicado com barulhos de som de carros, paredões ou festas em residências pode ligar para o Ciosp 24 horas por dia. O telefone de contato é o 190 da Polícia Militar.



Portal C8 Notícias

Foto: SSP