“O PT não está de carona no Governo Belivaldo”, declara Rogério Carvalho


O Programa “Cultura News” da Cultura TV estreou novo horário nesta segunda-feira, dia 05, entrevistando o Senador de Sergipe pelo Partido dos Trabalhadores, Rogério Carvalho. As temáticas abordadas forma a CPI da Covid-19 e os acertos para a Eleição em 2022.


O parlamentar iniciou comentando a atual situação da CPI que investiga a pandemia e os próximos passos. Para Rogério, os trabalhos já estão mostrando resultados. “A partir desta terça-feira continuaremos ouvindo pessoas ligadas ao Ministério da Saúde, responsáveis pela compra da vacina covaxim. Alguns já estão entrando na justiça para ter o direito de permanecer calado. Na sexta-feira teremos uma audiência secreta com o ex-governador Wilson Witzel no Rio de Janeiro. Já se percebe que o Governo Bolsonaro tem responsabilidade na compra tardia de doses”, destacou.


Rogério Carvalho disse que o Brasil com total experiência em vacinas, poderia ter começado a imunizar bem antes e o país já teria uma grande quantidade de imunizações. “Para agravar ainda mais, a demora veio acompanhada de intermediação de empresas. Nosso país é o que tem o maior programa de imunização do mundo. Como temos mais de 200 milhões de habitantes, tínhamos tudo para comprar diretamente do Butantã, da Fiocruz, entre outros laboratórios brasileiros. Existe grandes indícios que que houve corrupção na compra de doses”, lembrou o parlamentar sergipano.


Outro problema apontado pelo Senador é que muita gente seguiu apenas o que o Presidente Bolsonaro e sua equipe disseram. “Ele e seu agrupamento foram responsáveis pelos milhões de brasileiros infectados e milhares de mortos. Ele, ao invés de educar na proteção individual, decidiu estimular o uso de remedis sem comprovação. Acharam que isso seria a imunização completa, quando sabemos que na verdade, a vacina é a única saída de momento”, pontuou.


Perguntado sobre o atual Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que já esteve 2 vezes na CPI, Rogério Carvalho disse que não há nenhum entrosamento com o Presidente. “Se ele tivesse um pouco de dignidade, já pedido demissão. Queiroga é desautorizado o tempo inteiro por Bolsonaro. Em um encontro ele chegou a classificar de ‘um tal Queiroga’. Tudo o que ele faz, Bolsonaro é contrário. O Ministro vai depender sempre da vaidade do Presidente. Quem decide mesmo são os ministros do gabinete paralelo”, declarou.


O prazo da comissão parlamentar de Inquérito já está se encerrando e alguns parlamentares defendem esticar o prazo, entre eles o Senador. Para ele, com mais prazo, poderá se averiguar as novas denúncias contra o Governo. “Sou favorável a ter mais tempo para a CPI, uma vez que novos personagens já estão surgindo e é preciso mais tempo para aprovar o relatório”, explicou o parlamentar.


Rogério foi perguntado sobre seu futuro para 2022. Ele confirma a intenção para ser nome para Governo, mas disse que isso ainda não é discutido externamente. “Já declarei para muitos que tenho esse desejo de servir ao meu estado. No entanto, prefiro esperar um pouco mais. Estamos ainda numa pandemia e num momento que o país descobre a queda de máscaras de muitos nomes que diziam ser da boa política. Ainda não é momento para definições”, comentou.


Ele também confirmou que o ex-Presidente Lula está na luta pela candidatura após se livrar de todas as condenações colocadas. Sobre definição do agrupamento por Belivaldo, o Senador afirma que existe interesse em permanecer no bloco. “O partido dos Trabalhadores não está de carona e tem participação. Tudo é muito cedo, vamos ouvir ele, mas no momento certo. Nossa sigla tem interesse em permanecer unida. Ainda é muito temerário prever o futuro na política dinâmica”, finalizou Rogério Carvalho.



Portal C8 Notícias

Foto: Pedro França / Agência Senado