top of page

“O PT local não teve interesse na federação”, diz Niully Campos


A Pré-Candidata ao Governo de Sergipe pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol), Niully Campos, foi entrevistada no Programa “Linha Direta”, com Jairo Alves de Almeida na manhã desta sexta-feira, dia 15. Ela falou sobre a ideia de se lançar como única mulher na disputa e as iniciativas para formação do agrupamento.


No inicio, Niully Campos afirmou que, na atualidade, o púbico feminino tem um grande destaque na sociedade, mas que precisa estar mais em conjunto na política. Sergipe ainda não teve uma governadora ou mesmo deputada federal. A mulher sergipana é forte e busca seus ideias. Mas é preciso que ela se uma em prol de espaços na política. Lutamos todos os dias, no trabalho e em casa, ao cuidar de nossos filhos. Ser mulher na política não é fácil, mas é preciso lutar”, destacou.


Perguntada sobre o agrupamento do Psol para a disputa, a pré-candidata afirmou que tem um grupo sólido e com grande participação popular. “Nosso pré-candidato a vice é o jovem Demétrio Varjão. Temos nosso amigo Henryclay Andrade como pré-candidato ao Senado. Além disto temo o nome de Iran Barbosa, que há anos está na luta e que veio para o nosso agrupamento. Enfim, homens e mulheres que estão construindo a caminhada”, pontuou Niully Campos.


A pré-candidata ao Governo do Estado afirmou que o país vive um processo eleitoral muito complexo, pois são poucos os partidos com tempo de rádio e TV. “A nossa intenção é fazer a federação com a Rede Sustentabilidade, para ter um pouco mais de espaço no horário político. Mas mesmo assim serão poucos segundos. Nossa maior aposta será nas redes sociais, que também dão um retorno muito importante”, comentou.


Niully também criticou as gestões atuais, pois não foi criado par ao povo condições locais para se enfrentar a covid-19 e nem a retomada. “O que vimos foi mal o auxilio federal, de um Governo que sempre negou vacinas e a doença. E o Governo não teve a agilidade para se beneficiar os mais pobres e humildes. Por isso temos que reverter essa situação o quanto antes”, apontou.


Perguntada sobre apoio do partido a Eleição nacional, Niully Campos disse que o Psol declinou de lançar o nome próprio para apoiar a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. “Estamos em um pleito diferenciado, pois o país deverá escolher ou ficar nessa situação terrível colocada pelo Governo atual ou vai mudar para um futuro melhor. Por isso estamos focando no petista para escolha nacional”, afirmou.


Ao final, a pré-candidata ao Governo explicou o motivo do Psol não fazer parte do grupo com o PT do pré-candidato Rogério Carvalho. “O Partido dos Trabalhadores local não teve interesse na federação. Por isso, decidimos apoiar Lula à nível nacional e manter a nossa pré-campanha. Sobre convenções, estamos ainda fechando a federação com a Rede e não temos uma data especifica”, finalizou Niully Campos.





Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão

bottom of page