“O grupo tem o mesmo pensamento político”, destacou Mendonça Prado


Na manhã desta quinta-feira, dia 16, o pré-candidato a Senador pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Mendonça Prado, participou do Programa “Linha Direta” com Jairo Alves de Almeida. Ele comentou sobre os objetivos para o pleito deste ano e ideias em diversos setores.


A primeira pergunta direcionada a Mendonça foi sobre o motivo de querer a disputa futura para o Senado da República. Para o ex-deputado federal, ter trâmite em Brasília é fundamental para tentar a disputa. “Com meus mandados na Câmara, já conheço os caminhos. Apenas agora a meta é seguir para outra casa parlamentar, onde todos os estados tem a mesma representação. Aliás, é isso que busco também. Que Sergipe possa ter realmente uma voz forte”, comentou Mendonça.


Outro pronto que o pré-candidato ao Senado destacou foi sobre a questão das desigualdades regionais, que também pode ser visto na Câmara dos Deputados. “Sabemos que o Senado representa os estados e a Câmara a população em si. Mas é desigual na representação, pois vejamos. São Paulo e Sergipe têm o mesmo número de senadores, 3 ao total. Já no outro parlamento, os paulistas tem 72 deputado e Sergipe apenas 8. Tudo bem que existe uma legislação sobre quantidade de eleitores e deputados, mas isso precisa ser revisto.”, apontou.

Para Mendonça Prado, o ser Senador requer mais que buscar emendas. “Aliás isso é papel do Deputado Federal. No Senado, o parlamentar precisa discutir ideias, propor soluções, a fim de que o país e os demais estados possam ter o mesmo tratamento. Por isso tenho esse propósito, caso sendo aprovado em convenções, ter esse pensamento de volta a Brasília”, destacou.

Um dos pontos que o pré-candidato destacou foi sobre a situação do turismo do estado. Para ele, é preciso dar infraestrutura. “Temos um estado relativamente pequeno, mas rico em locais belos de se admirar. Por que não ter, por exemplo, um resort na região da Serra de Itabaiana? Seria importante. Mas para isso, é preciso ter infraestrutura. E para ter turismo também é necessária interligação com outras áreas, a exemplo da segurança pública. Quando fui deputado criei um fundo para dar apoio aos agentes de segurança. Isso precisa ser rediscutido”, afirmou Mendonça.


Questionado o motivo de seguir par ao PTB, Mendonça Prado disse que recebeu um importante convite o líder do partido, o ex-deputado federal João Fontes. “Ele está reunindo grandes nomes para fazer a diferença e decidiu me chamar. Estava prestes a sair do DEM, que virou União Brasil ao se juntar como PSL. Também segui conselhos de amigos para voltar a Brasília. E foi assim que começamos esta nova caminhada na política. O grupo que João está criando tem pessoas com o mesmo pensamento político”, comentou.

Ele também foi perguntado sobre sistema eleitoral e tempo de rádio e TV. Para o pré-candidato ao Senado, é preciso acompanhar as mudanças de forma protocolar. “Tivemos algumas alterações, antes eram coligação, mas agora somos federação. E nesse ponto teve um lado bom, que foi a criação de conglomerados. Isso força a redução de partidos que, ao meu modo de ver, já temos em enorme quantidade. Cada um com sua ideologia. E isso é ruim para democracia. Vou propor a redução para apenas 5 partidos. Já está de bom tamanho para o país”, alegou Mendonça Prado.


Ao final ele lembrou que as áreas de saúde e de reforma financeira precisam de amplas mudanças no país. “Na saúde é inconcebível só termos especialidades médicas na capital. Por isso a superlotação do Huse em alguns momentos. Já sobre a questão da reforma fiscal, é impensável que uma pessoa pobre pague a mesma quantidade de impostos que um Silvio Santos da vida. Esta lógica precisa ser mudada”, argumentou.




Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão