“Nossa Opinião”: Mais respeito aos idosos


Prezados ouvintes,


No próximo dia 26, celebraremos o dia dos idosos, momento em que haverá muito a se comemorar, mas – infelizmente – ainda um tanto de reclamações por conta dos direitos que são negados à maioria esmagadora dos idosos. A pessoa idosa é muito maltratada, no Brasil, quer pelo Poder Público, quer pela iniciativa privada, ou pelos próprios familiares.


Apesar de o Estatuto do idoso assegurar à pessoa idosa direitos à vida, à educação, à saúde, ao lazer, à dignidade, é clara a situação de constantes vexames por que passam os idosos: filas intermináveis, em hospitais, bancos, repartições públicas. Há desrespeitos flagrantes que nos mostram o total desprezo pela pessoa dos idosos.


Onde existe uma praça pública que ofereça segurança suficiente, para que os idosos possam caminhar, fazer exercícios, conversar e se divertir? Em que hospital público há vagas para os idosos, tão logo eles o procurem? Onde encontram remédio? Onde têm dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, geriatras, gerontólogos e terapeutas ocupacionais financiados pelo poder público? E os transportes da população têm o devido cuidado com a pessoa idosa? No papel, há muita coisa bonita, mas a realidade é muito dura...


O Povo da Bíblia, conhecido como Povo Hebreu, tinha grande veneração pelos idosos. Eram os mais idosos quem ensinava os jovens, sobretudo nos chamados ritos de passagem: da infância à adolescência, e da adolescência à idade adulta. Os chamados Livros Sapienciais, sobretudo Eclesiastes e Provérbios, revelam a grande estima com que eram considerados os homens idosos. Eles eram os mestres, os pedagogos. Claro que havia a discriminação em relação às idosas, por que havia em relação à mulher em si mesma, o que não é exemplo para a atual sociedade.


No Brasil, até bem pouco tempo, um idoso aposentado, tinha de ir à agência do INSS, para fazer prova de vida, ou à agência bancária. Ora, se inexiste certidão de óbito em nome da pessoa, é o suficiente para se comprovar que ela ainda vive. Mas, os idosos aposentados são contribuintes forçados da Previdência e o que recebem mal dá para os gastos com saúde! Enquanto há dinheiro a rodo para os partidos políticos gastarem durante a campanha eleitoral, falta quase tudo para os idosos. Os grandes centros de acolhida são mantidos pela igreja, associações ou iniciativa privada. Isso é vergonhoso. Desprezar os idosos é descartar nossas origens e abandonar nossas raízes. Um país sério cuida de sua gente, sobretudo dos idosos.


No tempo dos jogos eletrônicos, pouco diálogo há, na família. As pessoas se escondem nos jogos e dos diálogos virtuais, quando podem inventar perfis, ocultar a idade, ou coisas ainda piores, os idosos, que nem sempre têm acesso a esses divertimentos, ficam sobrando, num cantinho, isolados, sem a devida atenção. Muitas famílias mantêm o idoso em casa, por que vivem da aposentadoria dele, ou tomam empréstimos consignados, em nome do idoso, num total desrespeito à dignidade de sua pessoa.


Assim, neste dia em que vamos celebrar os idosos, a Rádio Cultura lhes apresenta os cumprimentos, mas denuncia toda a sorte de injustiças que lhe recai como uma canga opressora. Afinal já dizia o Filósofo Aristóteles: “Velhice não deveria ser entendida como doença, pois não é algo contrário à natureza”.


Cuidemos dos nossos idosos, com carinho, respeito e ternura. Será mera retribuição por tudo o que fizeram para nos receber.



Essa é a nossa opinião.




(veiculado no Programa “Linha Direta” do dia 22 de julho de 2022)



Portal C8 Notícias

Foto: ACVida cuidadores/divulgação