“Nossa Opinião”: A importância da campanha eleitoral


Prezados ouvintes,


A partir da próxima terça-feira, tem início oficialmente a campanha eleitoral 2022, que nos vai oferecer a oportunidade de modificar o que não está de acordo com o pensamento que cada um sente em relação ao País e ao Estado. É uma oportunidade para refletirmos sobre a importância do nosso voto. Os candidatos e candidatas estão postos, disponibilizando seus nomes, tanto para a eleição quanto para a reeleição, em diferentes cargos. É preciso estarmos atentos para não cometermos a ingenuidade de achar que o nosso voto não pode muita coisa.


O objetivo da campanha política é o de despertar nas consciências uma reflexão séria sobre: saúde, educação e ciência, previdência, direitos adquiridos, moradia, emprego, segurança pública, tributos etc. Cada candidata ou candidato tem um perfil, pela sua história de vida, que deve ser conhecido, examinado a fundo, para percebermos se há em determinada pessoa, postura que se pareça com aquilo que sonhamos para o Brasil e para o nosso querido Estado. Repetimos: CAMPANHA ELEITORAL É COISA SÉRIA, tempo oportuno à Reflexão, ao Exame apurado.


Não podemos compactuar com uma campanha em que há ídolos e fãs. Isso é para o mundo as celebridades artísticas, igualmente fantasiosas. Candidato ou titular de mandato outorgado pelo povo não pode ter caráter sagrado, nem idolátrico. É gente como a gente, capaz de erros e de acertos. O que podemos fazer por eles e por elas é votar. Mas, quando votamos, votamos em nós mesmos, em nossas convicções, em nossos pensamentos. O candidato ou a candidata apenas representam este nosso pensamento. Não podemos nos adequar ao pensamento do candidato ou da candidata. O voto é soberano e dele todos os candidatos dependem para chegarem ao cargo desejado.


O cidadão eleitor é sempre mais importante do que o candidato. Essa ordem não pode ser invertida, para não mergulharmos no caos. Nenhum governante, por melhor que seja, dá nada a ninguém. Ele é apenas gestor, administrador daquilo que pertence a todos. Repetimos: A TODOS! Não pode servir a uma classe, não pode assumir como de estivesse dando uma migalha aos pobres. Se há programas sociais, se há ofertas de emprego, moradia, melhorias na saúde, fruto de um governo, é mera obrigação dele. A pessoa que está no cargo foi eleita para isso mesmo. Chega de bajulações, de achar que este é astro ou que aquele é a perfeição. No processo eleitoral, a estrela somos nós os eleitores e eleitoras. O povo é soberano, e não os candidatos!


Em nome da preservação da DEMOCRACIA, único instrumento que nos permite votar e ser votados, convém salientar que uma campanha política não se faz com xingamentos, com violência, com desonras, com mentiras e falsas notícias. Uma campanha eleitoral é ocasião de debates, de reflexão, de escolhas acertadas. Não é para espalhar violência, ódio, terror. É para o povo fazer a sua parte.


Os políticos já se registraram, disponibilizando seus nomes. Agora é a vez de os eleitores fazerem sua parte, com seriedade, sem paixão cega, sem guerra. Fica, aliás, o conselho: não vote em quem acha que política é brincadeira de mau gosto.



Essa é a nossa opinião.




(veiculado no “Linha Direta” do dia 12 de agosto de 2022)




Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil