Na Cultura, Doria diz que eleições poderão ser sujas por conta das Fake News


O programa Linha Direta, da cultura AM670, entrevistou na manhã desta quarta-feira, 23, o governador de São Paulo, e pré-candidato a presidência da República pelo PSDB, João Doria. Inicialmente ele falou sobre a aprovação da federação com o Cidadania. Segundo Doria foi construída uma boa aliança, com um partido que tem grandes nomes, como o Senador Alessandro Vieira, dentro de um programa de construção de um novo Brasil. Ele afirmou que esse foi um grande passo para a formação da terceira via, criando uma opção frente a polarização entre Lula e Bolsonaro. Além do Cidadania Doria informou que o PSDB vem mantendo conversar evoluídas com o União Brasil e MDB.


Sobre a posição do Cidadania, que manteve o nome do senador sergipano como pré-candidato a presidência, O pré-candidato disse que haverá um dialogo entre os partidos para construir a aliança para a disputa de outubro. Com relação ao nome do vice, o governador disse que ainda é cedo para apontar um nome, e que essa definição deve ficar para maio ou final de junho, numa discussão com os partidos aliados.


Questionado sobre o baixo desempenho nas pesquisas de intenção de votos, que de dão pouco menos de 3% de intenções, João Doria afirmou que a campanha mal começou, e a partir do dia 2 de abril vai se desincompatibilizar do cargo e viajar pelo Brasil para levar sua propostas, e ser reconhecido pela população. Ele disse que no inicio da sua campanha ao governo paulista também começou timidamente, em terceiro lugar nas pesquisas, mas que o resultado dos votos nas urnas lhe deu a vitória no segundo turno.

Sobre a sucessão em Sergipe, o governador afirmou que pensa que o PSDB deve ter candidatura ao governo do estado, mas isso vai depender das confluências dos partidos que compõe a federação, e das negociações e entendimentos, pois tanto o seu partido quanto o Cidadania tem bons nomes para a disputa local.


Eleições sujas

O governador João Doria disse que espera uma campanha eleitoral suja, tanto na esfera nacional quanto na regional. Ele disse "que os bolsominios, bolsonaristas, usam e abusam das mentiras, das chamadas fake news, das impropriedades, dos assaques, da destruição das reputações de governadores, deputados, senadores e dos candidatos". Para Doria as eleições poderão ser as mais sujas dos últimos anos.