Número de estelionatos supera o de roubos, diz SSP


Com a alta demanda da tecnologia, um tipo de crime vem crescendo em toda a sociedade: o estelionato. Não são poucas as pessoas que já caíram em golpes que são veiculados via telefone ou nas redes sociais. E este tipo de ação já superou o crime de roubo, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe.


De acordo com a Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim), da SSP, houve uma mudança na quantidade de queixas prestadas em delegacias. Em 2020, foram registradas 9.320 ocorrências de estelionato e 11.491 de roubos. Já no comparativo do ano passado, foram 14.998 ocorrências de estelionato e 9.898 casos de roubo em Sergipe. O estaque é que, no estelionato, a média era de cerca de mil registros por mês.


No entendimento da delegada Suirá Paim, esta reviravolta na quantidade de cada tipo de crime ocorre por conta do advento de tecnologias que forneceram mais facilidade aos usuários, porém que estão sendo aproveitadas pelos criminosos nos casos de estelionato. “Esse é um fato que vem ocorrendo em diversos estados do Brasil e é uma tendência segundo a CEACrim. Isso se deve muito em decorrência do surgimento de novas tecnologias, como por exemplo PIX, o cartão digital e também com a pandemia de Covid-19 e o isolamento social”, explicou.


O golpe do motoboy, o golpe da falsa oportunidade de emprego e os links por mensagem de texto estão entre as queixas que mais ocorrem nas delegacias do estado. “Também temos as fraudes bancárias, com o PIX e o golpe do cartão falso. Também há o golpe da OLX e do falso motoboy. São diversos os tipos de golpe. Os mais praticados são no ambiente virtual. Esse é o ambiente preferido dos estelionatários”, lembrou Suirá.


A Polícia Civil de Sergipe conta com uma unidade especializada nos registros e investigações de golpes e casos de estelionato. O Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) - sediada na Rua José de Oliveira Filho, 2.148 – Grageru, em Aracaju - realiza as investigações de casos de estelionato. Além da unidade, as denúncias de práticas recorrentes desses golpes podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia, no telefone 181. O sigilo é garantido.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil