“Não sou oposição nem raivosa nem oportunista”, declarou Milton Andrade


O Programa “Inove Notícias” desta sexta-feira, dia 21, apresentou o quadro “Entrevista Sem Filtro” com o empresário e ex-candidato ao Governo de Sergipe Milton Andrade. Ele abordou diversos assuntos relacionados a política e apoios para 2022.


Milton Andrade iniciou sua fala sobre o partido e as discussões políticas na atualidade. Ele está como Presidente municipal do Partido Liberal (PL) e lembrou que, em tempos de pandemia, praticamente não há conversas. “Está tudo muito frio, muito distante. Vivemos momento difícil e é complicado ter foco para discutir política neste instante”, detalhou.


Com relação ao ano de 2022, ele vê o ex-Prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho como bom nome e reafirma que segue na oposição a Edvaldo Nogueira e Belivaldo Chagas. “Minha posição politica todos me conhecem, não serei situação a Prefeitura e ao Estado. Minha postura é essa. Não sou oposição nem raivosa nem oportunista. Se tiver momento de criticas ou elogios eu faço. Lamentavelmente só vejo mais criticas que elogios, mas torço pelo contrário”, pontuou Milton.


Sobre uma possível indicação Edvaldo Nogueira ao Governo e Valmir Vice, e a Delegada Danielle Garcia a Câmara Federal, o Presidente do PL Aracaju disse que isso não atrapalharia a caminhada. “Tenho independência pessoal. Estarei no agrupamento do Senador Alessandro. Aliás eu defendo o nome dele para ser majoritário em 2022. Se a diretoria não aceitar, seguirei com Alessandro e Danielle, que a vejo mais para disputar o Senado”, pontuou.


Ainda sobre eleição do ano que vem, Milton Andrade destacou que não pretende ser nome para alguma disputa. “Onde gostaria de estar atuando era na linha de frente. Gostei do desafio de 2018 e me sinto preparado para desafio. Conheço as dificuldades e soluções para Sergipe. No entanto, por uma conjuntura familiar, econômica e dos negócios, estou impedido. Não posso deixar minhas empresas agora, num período terrível como a pandemia. Se eu sair agora perco meu foco nas empresas. Mas no que for possível para dar apoio, estarei presente”, explicou.


Sobre o apoio que o Senador Alessandro Vieira estaria dando ao Relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros (MDB-AL), ele afirmou que não procede e que a indicação para ter acesso a comissão é dos blocos partidários. “Não foi escolha do Senador Alessandro. Eles têm pensamentos diferentes. A indicação apenas foi por siglas. Não existe apoio”, debateu.


Portal C8 Notícias

Foto: Site Livres