“Não está descartada uma terceira onda com a variante delta”, alerta Professor da UFS


O Membro do Comitê Técnico-Científico de Sergipe e Professor do Departamento de Farmácia da Universidade Federal de Sergipe, Lysandro Borges, foi o entrevistado desta quarta-feira, dia 28, no Programa “Linha Direta”. Ele comentou sobre a atualidade da pandemia da covid-19 no estado.


No entendimento do especialista, apesar do avanço da vacinação, devemos ter precaução devido a variante delta da covid-19. “Esta variante nos pegou de surpresa. Ela preocupa todos os continentes. Por isso os Estados Unidos voltaram a exigir máscara, mesmo com boa parte dos habitantes imunizados”, destacou.


O Professor Lysandro Borges alerta que no Brasil ela já está em vários estados. “Não é descartável uma terceira onda da covid-19 no país por conta da variante delta. Estamos com imunização bem abaixo do esperado para a segunda dose. As pessoas começaram a cantar final de festa com ela ainda em andamento”, comentou.


Apesar de Sergipe não ter ainda casos da variante delta, a pessoas não podem se descuidar. “Não é por conta da queda de casos e de mortes e as ocupações nos hospitais que devemos baixar a guarda. A variante delta é mais contagiante e pode ser mais mortal. Nos Estados Unidos os que mais estão morrendo agora são os não vacinados. Isso é de deixar em alerta os sergipanos. É possível que já tenhamos a nova cepa mas ainda não detectamos”, pontuou o Professor da UFS.


Lysandro Borges lembrou do estudo feito recentemente entre cobradores e motoristas. A intenção foi fazer uma testagem geral desta categoria, uma vez que eles são as pessoas que mais são vítimas da contaminação devido a circulação de pessoas. “De 148 testados apenas 2 deram positivo. Mostra mais que nunca que a vacina está sim ajudando a combater a pandemia. Mais de 90% dos rodoviários já receberam as duas doses. Só a vacina evita morte e agravamento”, explicou.


Questionado sobre a vacinação, o Professor disse que a tendência é que em municípios pequenos a adesão seja maior. “Isso é o contrário do que ocorre nos grandes centros. Devido as notícias falsas muitas pessoas ficam com medo de receber as doses devido a algumas reações. Só a vacina pode salvar a humanidade neste momento. Não tem outro caminho”, pontuou o Professor Lysandro Borges.


Ao final, o especialista da UFS disse que a pandemia vai ser reduzida, mas não haverá o fim da covid-19. “Tivemos diversas doenças no passado que mataram muita gente e que foram controladas pela vacinação. Da mesma forma da gripe, será com a covid-19. É claro, passando de pandemia para epidemia, quando aí pode ocorrer um maior controle. Para isso a vacinação deverá ser anual”, concluiu.



Portal C8 Notícias

Foto: Schirlene Reis/Ascom UFS