“Não dá mais pra confiar na condução do MDB Nacional”, disse Jackson Barreto


Na manhã desta terça-feira o ex-governador de Sergipe, Jackson Barreto, participou do Programa “Linha Direta”. Ele comentou sobre Eleições 2022 e se participará da disputa no ano que vem.


Jackson iniciou a entrevista comentando sobre o cenário atual. Ele disse que não está na linha de frente do processo de escolha de nomes, mas que cabe a Belivaldo Chagas. “Estou apenas como aliado, apoiando iniciativas do governador. Ele tem falado sempre que está envolvido na gestão, principalmente da pandemia que causa dor ao povo de Sergipe. Belivaldo disse que só vai falar de política no fim de setembro. Não terá definições agora”, declarou.


Sobre a situação atual, ele disse que o país vem sofrendo as consequências do impeachment de Dilma Rousseff. “Até agora o brasileiro tenta se recuperar da saída da Presidente. Estamos com um Governo Federal sem perspectiva e que desestabiliza qualquer país. Por isso que estarei apoiando a mudança para os próximos anos”, destacou.


Na entrevista, Jackson Barreto disse que pensa em retornar ao Congresso Nacional em Brasília. “Eu disse na eleição passada que não seria candidato, mas me candidatei e não consegui êxito. Fui obrigado pelo momento politico que o país estava passando. Belivaldo tem me estimulado e eu tenho conversado com amigos. Chego a conclusão que devo voltar a politica como Deputado Federal”, afirmou.


Com relação ao cenário eleitoral nacional, Jackson disse que vai apoiar Lula e que, se confirmado a vitória dele, deverá reforçar o apoio na Câmara. “Lula precisa de uma base forte para voltar ao desenvolvimento no país, gerar emprego para as pessoas comprarem mais comida. Quero ajudar a tirar Sergipe e o Brasil das dificuldades. Por isso, a possibilidade de me lançar para disputa de uma cadeira no Congresso”, pontuou.


Questionado sobre continuidade no MDB, Jackson Barreto disse que sairia da sigla, caso Lula fosse solto. “Mantenho o que disse há alguns anos. Não dá mais para confiar no MDB. Não quero descreditar dos companheiros do partido em Sergipe, a exemplo de Luciano Bispo. O que quero dizer é que a nível nacional perdeu meu credito. Serei pré-candidato, mas não no MDB”, desabafou.


Sobre apoio ao PT, ele disse que pretende seguir o nível nacional. “Sempre apoiei e apoiarei Lula. Vou acompanhá-lo na pré-campanha”, destacou. Ao final, Jackson disse que vai esperar discutir com o Governador Belivaldo Chagas para definir questões de apoio local. “Quem estiver de acordo com fortalecimento do nome de Lula, será bem-vindo”, alegou.


Portal C8 Notícias

Foto: ASN