MPF vê necessidade de câmera corporal para agentes da PRF


O Ministério Público Federal de Sergipe abriu procedimento para investigar a necessidade de uso de câmeras de vídeo corporais por policiais rodoviários federais no exercício da função de policiamento extensivo. O ato foi solicitado pelo coordenador do Controle Externo da Atividade Policial em Sergipe, o Procurador da República Flávio Matias.


A investigação foi instaurada a partir do Procedimento Administrativo do Controle Externo da Atividade Policial. O foco é acompanhar as abordagens ou ações da Polícia Rodoviária Federal, ocorridos no estado de Sergipe, que ocasionarem vítimas ou de outra forma demandarem o exercício da atividade de controle externo policial pelo Ministério Público Federal.


Outro ponto que provoca a ação do Ministério Público Federal é sobre outra denúncia além do caso de Genivaldo de Jesus. Dois homens chegaram a denunciar agentes da Polícia Rodoviária Federal que fizeram outra abordagem em Umbaúba. O fato teria ocorrido 2 dias antes da ação que culminou na morte do homem de 38 anos que estava andando de moto e sem capacete.




Portal C8 Notícias

Foto: MPF