Moradores reclamam do serviço de instalação do esgotamento da Deso


Quem mora em algumas ruas do Loteamento Santa Madalena no Bairro Soledade, na zona norte de Aracaju, está enfrentando problemas ao sair de casa. É que boa parte das ruas está esburacada devido ao serviço de uma empresa terceirizada que presta serviços a Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO). Sem a recuperação das ruas, o serviço chegou a ser embargado pela Prefeitura de Aracaju.


Através de suas reses sociais, o Prefeito Edvaldo Nogueira pediu desculpas aos moradores por conta dos transtornos provocados pelo serviço da empresa de saneamento do estado. “A Prefeitura autorizou que a obra de esgotamento sanitário acontecesse na localidade, mas que os serviços fossem feitos por etapas justamente para gerar menos transtornos à população. Infelizmente, a Deso não respeitou este processo e quis realizar os serviços ao mesmo tempo”, lamentou o gestor.


Durante o “Linha Direta” desta quarta-feira, dia 09, a reportagem da Cultura ouviu alguns moradores. Entre eles o senhor José Vicente, que também é líder comunitário da região. Ele disse que o problema persiste sem que exista uma resposta da Deso ou da terceirizada. “Tem moradores aqui com dificuldade de tirar os veículos para trabalhar. Sem contar que tem pontos onde o esgoto já está vazando. Sabemos que é importante, mas não podemos voltar a viver com lama nas ruas que até dia desses estavam arrumadas”, declarou.


Resposta da Deso

Ao final do programa o Assessor de Comunicação da Deso respondeu ao questionamento sobre o embargo e a demora de conclusão da obra. Segundo o comunicador, todo o serviço deve estar pronto até o fim do ano. “Sabemos que todo beneficio requer um sacrifício, neste caso a rede de esgoto é fundamental. Até dezembro vamos entregar tudo organizado. Sobre a questão da prefeitura a Deso vai responder a cada item para continuar atuando nesta localidade”, destacou.


O representante da companhia alertou também sobre mais locais que deve receber em breve obras de esgotamento sanitário. “Ainda não há garantia financeira, mas já existe um projeto bem avançado para o Bugio e demais outros locais. Para colocar em pratica a empresa fará a viabilidade de recursos”, pontuou Flávio.



Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão