“Maioria dos pais é a favor da retomada presencial”, diz Associação de Escolas Particulares


Na manhã desta quinta-feira, dia 15, o Presidente da Federação dos Estabelecimentos de Ensino Particular do Estado de Sergipe, Renir Damasceno, foi o entrevistado do Programa “Linha Direta”. Ele comentou sobre a retomada das aulas presencias a partir do dia 21 de julho.


O dirigente destacou que a situação atual é a mesma do início do ano. “Em 18 de janeiro começamos a ter aula mesclada entre presencial e on-line. Mas depois tivemos que suspender com o avanço da pandemia, com exceção da educação infantil. Agora volta todas as séries, incluindo nível superior”, pontuou o professor.


Sobre a preparação das escolas, Renir Damasceno afirmou que toda a segurança será garantida. “Já temos essa experiência vivenciada em 2 meses de aula. Agora é retomar os mesmos protocolos. A diferença é que agora os professores e trabalhadores da educação estão vacinados. Isso nos traz segurança, mas os cuidados individuais e coletivos não deixarão de existir tão cedo. Desta vez o cumprimento será ainda mais reforçado”, explicou.


O professor lembrou que muitos estabelecimentos tiveram prejuízos, mas ao mesmo tempo tiveram que negociar bem para a sobrevivência. “Esse impacto ainda ocorre. Em 2020 muitos colégios particulares tiveram que se virar em vários meios para segurarem. Tivemos escolas com problemas. Agora estamos numa situação mais favorável. Esperamos que o futuro seja promissor no setor econômico do ensino particular”, afirmou.


Com relação a vacina dos professores e trabalhadores gerais das escolas, o representante dos estabelecimentos de ensino particular destacou que está havendo grande adesão. “Não tenho conhecimento sobre defasagem a vacinação. A primeira dose está praticamente completa. Já a segunda dose aos poucos vem sendo aplicada. A maioria tomou dozes da Pfizer e AstraZêneca”, disse Renir.


O professor respondeu a críticas de sindicalistas sobre o retorno. Para ele, está ocorrendo diálogo com o representante dos professores particulares. “Estamos conversando sobre isso e também a questão do reajuste salarial. Acreditamos que não devemos parar de vez por conta da falta da segunda dose. Se fosse assim, o mundo estaria parado novamente. Vamos cobrar das escolas particulares a rigorosa fiscalização dos pontos de ensino”, comentou.


Com relação a retomada, Renir disse que os pais ou responsáveis continuarão tendo direito de escolha. “Ainda haverá aulas via internet. Ou seja, os pais podem sim escolher pela aula presencial ou on-line. Na parte presencial, todos os protocolos serão feitos intensamente, com a limpeza do espaço, manutenção de ar-condicionado, uso de álcool em gel em todos os pontos, entre outros serviços”, detalhou o professor.


Sobre a retomada presencial, a maior dos pais é a favor da retomada. “Mais de 70% deles é a favor da retomada presencial. Uma parte quer a volta, mas com a segunda dose. Claro que a pandemia ainda não acabou, estamos em pandemia mesmo em queda. Por isso devemos sempre ofertar essa segurança aos pais de alunos que preferem que os filhos voltem ao sistema presencial”, afirmou Renir Damasceno.


Ao final o professor disse que o Brasil ter fechado por completo as escolas foi um grande atraso. “Nosso país está passando vergonha em meio ao mundo. Poucos países fecharam por completo as escolas. O mundo entendeu que escola jamais deve ser fechada, mas aqui foi. Isso pode provocar um grande atraso no ensino. Não é apenas a parte pedagógica, mas toda a sociedade”, lamentou.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil