Justiça libera atividades de aterros sanitários


A 18ª Vara Cível de Aracaju determinou a retomada dos serviços de coleta, transbordo e condicionamento dos resíduos. A norma veio após outra decisão judicial que caçava a licença ambiental de empresas responsáveis pelo tratamento do lixo domiciliar de vários municípios sergipanos. Com isso, o lixo de Aracaju e região estava já sem a coleta normal.


A decisão atingiu as licenças de prévias, de instalação e de operação dos centros de triagem. O Diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente, Gilvan Dias, disse que o fechamento afetaria aproximadamente 2 milhões de habitantes no estado. "O lixo coletado estava ficando nos caminhões, sem poder ir para o descarte adequado.", comentou.


Em nota, uma das empresas responsáveis pelo aterro sanitário disse que já protocolou petição, informando a ilegitimidade das suspensões realizadas pela Adema. Também foi solicitada a imediata retomada das atividades do Centro de Gerenciamento de Resíduos, localizado em Rosário do Catete, e a Unidade de Transbordo, em Nossa Senhora do Socorro.


Emsurb

Na manhã desta terça-feira, dentro do “Linha Direta”, o Presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (EMSURB), Luiz Roberto, informou que uma nova decisão judicial derrubou a determinação e os serviços de coleta de lixo estaria se normalizando até esta quarta-feira. “Se nós passarmos pouco mais de 12 horas sem coleta e descarte, a cidade já vira um caos e pode demorar mais de 2 dias para normalizar. Estamos nos reunindo com as partes para regularizar o serviço”, destacou.



Portal C8 Notícias

Fotos: Estre/divulgação