Grito dos Excluídos e Excluídas acontece na zona norte da capital


Milhares de pessoas participaram neste feriado de 7 de setembro do Grito dos Excluídos e Excluídas 2022. Este ano, o ato aconteceu em frente à Sede da Polícia Rodoviária Federal, na Avenida Maranhão, no Bairro Santos Dumont.


O motivo de o ato ter início na sede da PRF foi para cobrar a punição aos policiais envolvidos no caso de Genivaldo de Jesus. Ele foi morto após 3 agentes prenderem a vitima e colocarem no camburão com gás lacrimogênio. O fato ocorreu no dia 25 de maio deste ano. Até agora a investigação prossegue, já estando na reta final de apresentação do relatório final.


O Grito dos Excluídos e Excluídas contou com a presença das Pastorais Sociais da Arquidiocese de Aracaju. O Representante Eclesiástico, Padre Manoel Barbosa, destacou a importância de todos estarem no movimento, cobrando as melhorias para o país. “Celebramos hoje 200 anos da Independência de uma nação, mas o povo ainda não vi essa independência. Cada vez mais camadas da sociedade estão mergulhados na miséria e na fome. Da mesma foram que houve o clamor do Povo de Deus no Deserto, é preciso lutar pela dignidade”, explicou.


Além das pastorais, demais movimentos sociais estiveram no ato que seguiu para a Praça Ulysses Guimarães, no Santos Dumont, onde houve discursos. Durante o trajeto, foram realizadas apresentações culturais. O Grito dos Excluídos e Excluídas, que ocorreu em sua 28ª edição, foi encerrado pouco depois de meio-dia.



Portal C8 Notícias

Foto: Irenir de Jesus/Marcelo Neiva (Adufs)/divulgação