Feminicidio pode ser evitado com denuncias no DAGV


O crime de feminicidio ocorre devido a razão da vitima ser mulher. Dentre os casos de violência, Sergipe vem registrado uma alta deste crime específico, segundo dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim), da SSP.


Só nos 3 primeiros meses de 2022 foram registrados cinco feminicídios. Os crimes ocorreram nas cidades de Aracaju, Nossa Senhora das Dores, São Cristóvão, Simão Dias e Tomar do Geru. as dez ocorrências de violência contra a mulher com o maior número de registros são ameaça, injúria, lesão corporal, vias de fato, ações contra a liberdade de manifestação do pensamento e de informação, dano, descumprimento de medidas protetivas de urgência, perseguição, stalking - perseguição no ambiente virtual - e difamação.


Neste ponto, é fundamental que toda a sociedade se atente ao poder das denuncias junto a Delegacia de Grupos Vuneráveis. “É preciso sempre denunciar casos de violência. Acreditamos que a denúncia precoce consegue barrar a violência e evitar que evolua até um feminicídio. O agressor sempre dá sinais. Ele demonstra ciúme excessivo. Começa de forma sutil, mas que, com o tempo, vai demonstrando cada vez mais o sentimento de posse com relação à vítima”, reforçou a Delegada Renata Aboim.


As vítimas de violência doméstica podem procurar o Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis, que engloba a Delegacia Especial de Atendimento a Mulher. A unidade funciona em regime de plantão, 24 horas, e fica localizada na rua Itabaiana, 258, em Aracaju. As denúncias também podem ser feitas pelo telefone 190 (da Polícia Militar para os casos de flagrantes), 181 (Disque-Denúncia) e (79) 3205-9400.



Portal C8 Notícias

Fotos: SSP