FCDL pedirá ao governo o ‘não’ Ponto Facultativo dia 11 de outubro


A expectativa de consumo para o Dia das Crianças deste ano reforça a tendência de uma recuperação gradual do varejo. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais aponta que 72% dos brasileiros devem ir às compras no Dia das Crianças. A expectativa é de que o varejo movimente aproximadamente R$ 10,93 bilhões.


Baseado nessa pesquisa, a FCDL em Sergipe, presida por Edivaldo Cunha, diz que a data já acena com a possibilidade de recuperação das perdas face à pandemia, a exemplo do que ocorreu com datas anteriores este ano.


“Assim presenciamos uma movimentação melhor no Dia das Mães, Namorados e dos Pais. Agora esse aquecimento vai atingir o setor de brinquedos, vestuários, eletro-eletrônicos, celulares, jogos e materiais esportivos”, espera Edivaldo.


De acordo com os consumidores entrevistados, os presentes mais procurados são: bonecas/bonecos (41%), roupas e/ou calçados (35%), jogos de tabuleiro/educativos (32%) e avião/carrinho de brinquedo (20%).


Se por um lado, a alta intenção de presentear anima o mercado varejista, por outro, a expectativa de gasto do consumidor é cautelosa. De acordo com o levantamento, entre os entrevistados que vão comprar presentes, mais de um terço (36%) pretende gastar o mesmo valor que no ano passado e 31% têm a intenção de gastar menos. Já 23% pretendem gastar mais do que no Dia das Crianças de 2020.


Em média, os consumidores pretendem comprar 2,19 presentes (número que aumenta entre as mulheres). No total, o consumidor deve desembolsar R$ 200 com os presentes. A maioria pagará os produtos à vista (82%) e 38% planejam pagar parcelado. As principais formas de pagamento serão: dinheiro (45%), cartão de débito (38%) e cartão de crédito parcelado (36%). Entre os que irão dividir o pagamento das compras, o número médio de parcelas será de 4 prestações.


Não ao Ponto Facultativo


O varejo brasileiro, segundo a FCDL, assim como o sergipano, vai se recuperando a passos lentos em virtude do efeito pandemia em nossos negócios, tendo que conviver com a recuperação da economia em meio ao fechamento de muitas empresas, outras que se arrastam pra sobreviver e muitas que continuam na luta por sua continuidade no mercado.


”Felizmente algumas datas comemorativas para o comércio, Dia das Mães, Namorados e Pais, já deram um sopro de vivência ao comércio, à medida em que já nos aproximamos do Dia das Crianças, 12 de outubro, que também incrementa a economia”, diz o presidente.


Pensando nisso e em se tratando de um feriado nacional já cravado para ocorrer numa terça-feira, a FCDL apela para que o governador Belivaldo Chagas e prefeitos municipais examinem a possibilidade da não decretação de ponto facultativo na segunda, 11.


“Esperamos, com isso, que não haja uma fuga deliberada de servidores públicos para outros lugares, sem contar o esvaziamento do comércio na véspera do feriado, além de estimular as vendas durante todo o fim de semana ora citado”, comenta Edivaldo Cunha. A ideia é protocolar a solicitação ainda essa semana junto ao Governo do Estado.


Fonte:r Ascom FCDL/Sergipe