Fábio Henrique justifica voto a favor da compra de vacinas por empresas


O deputado federal Fábio Henrique (PDT) foi entrevistado nesta quinta-feira, 08, no programa Linha Direta, da Cultura AM670. O parlamentar voltou a defender o aumento para R$ 600,00 do auxílio emergencial. O governo federal está pagando nesta segunda rodada do benefício valores entre R$ 150,00 a R$ 375,00. Para Fábio Henrique o valor precisa ser elevado para garantir mais dignidade as pessoas que estão em situação de insegurança nessa pandemia.


Fábio Henrique destacou ainda que é preciso fazer uma reforma tributária para fazer com que quem ganha mais pague mais. Ele exemplifica que enquanto um trabalhador que compra um carro financiado paga IPVA, um rico que compra um Iate e não paga tributo nenhum. Segundo ele é preciso uma reforma que faça justiça social.


Obras na BR 101


Apesar de não ser bolsonarista, e não dar apoio ao governo, Fábio Henrique reconheceu que o governo Bolsonaro foi o que mais avançou nas obras na BR 101 no Estado, mas tem o trecho complexo entre Areia Branca e capela, que foi abandonado pela empresa que precisa ser retomado. Outro trecho é o de Estancia a Cristinapólis, que para Fábio também precisa avançar. Ele citou ainda que a BR 235 também precisa receber melhorias após Itabaiana. Ele disse que vai fazer a sua parte garantindo recursos nas emendas da união para essas conclusões.


Compra de vacinas por empresas


Contrariando o próprio partido PDT, o Deputado Fábio Henrique votou a favor do projeto que permite que as empresas comprem vacinas contra a covid-19. O parlamentar justificou seu voto afirmando que defendeu alterações na proposta que garantem a vacinação para aplicação nos trabalhadores das empresas, como por exemplo as empresas de ônibus, e ainda a doação de 50% desses imunizantes para serem doados para o SUS. Além disso o deputado disse que as empresas só poderão comprar vacinas após a garantia de venda para o ente público, ou seja, após a entrega de todos imunizantes contratados pelo governo brasileiro.