Em nota Setransp nega falência da Progresso


O Setransp informa que as três empresas do transporte que estão com as atividades paralisadas por seus funcionários, permanecem buscando alternativas na tentativa de retomar suas atividades. Como proposta ao pleito dos trabalhadores, as empresas realizaram o pagamento de 50% dos salários que estão em atraso e a quitação do restante mais à frente após o retorno da prestação do serviço. As empresas também afirmam que embora a situação seja extrema, não procede a informação de decretação de falência.


Essa realidade preocupante para todo setor de transporte que afeta diretamente, os passageiros, o trabalhador do transporte, a empresa empregadora e toda a sociedade em geral, é o retrato do agravamento das dificuldades financeiras na pandemia, sem qualquer aporte extra tarifário, nem redução ou isenção de impostos e nem nenhum subsídio.


O setor segue pedindo apoio às autoridades públicas para agirem em favor da sustentabilidade de um serviço que é um direto social, que atualmente emprega mais de três mil trabalhadores diretos através de sete empresas em Aracaju, e mais 2 mil indiretos, e é essencial para o deslocamento de mais de 70% da população todos os dias.


Esta sexta-feira, 15, foi o segundo dia da paralisação de aproximadamente 900 rodoviários do transporte da Grande Aracaju, vinculados a três empresas do Grupo Progresso.


Fonte: Ascom Setransp