“Direita precisa de coesão para formar grupo”, diz Lúcio Flávio


O ex-candidato a prefeito de Aracaju e Coordenador do Movimento “Brasil 200”, Lúcio Flávio Rocha, foi o entrevistado do Programa “Cultura News desta sexta-feira, dia 16. Ele falou sobre política, a defesa do nome de Jair Bolsonaro para o ano que vem, voto impresso e comentou sobre o futuro para Eleições 2022.


O empresário começou explicando sobre o significado no “Movimento Brasil 200”. Para ele, a iniciativa surgiu de demais colegas que gostaria de ver mudança política no país. “Em 2018 o colega empresário Flávio Rocha se sentia incomodado com os rumos que o Brasil estava vivenciando, com a eminência de um ex-presidente condenado podendo voltar ao poder. Daí surgiu esse movimento que faz referência aos 200 anos da Independência do Brasil no ano que vem. Somos um grupo político, mas que, até então, não tinha essa linha partidária”, destacou.


Questionado sobre a primeira vez que ele se lançou para um cargo eletivo, o empresário disse que foi um grande aprendizado, apesar de não ter o apoio que deveria receber. “Na reta final, a sigla tinha um posicionamento próximo do candidato a reeleição. Não aceitamos a ideia po