Deputado diz que Edvaldo Nogueira não conhece o estado e não gosta de discutir com lideranças


"Eu tenho algumas restrições ao nome do Prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), como o nome do bloco para a disputa do governo do Estado. A afirmação é do deputado estadual Capitão Samuel (PSC), em entrevista nesta quarta-feira, 01, ao Programa Linha Direta, apresentado por Jairo Alves de Almeida.


Questionado sobre quem deveria ser o nome do bloco para disputar o governo do estado em 2022, se o Deputado Fábio Mitidieri (PSD) ou o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), o parlamentar reconhece que Nogueira vem fazendo uma boa gestão na capital, mas aponta algumas dificuldades com relação ao prefeito. Segundo o Capitão "Edvaldo não conhece o estado, as lideranças do interior, e é avesso em receber, depois que ganha a eleição, as lideranças para conversar, e para governar o estado sem receber prefeitos, vereadores e lideres é muito difícil", completou Capitão Samuel. No entanto, apesar dessa dificuldades, ele disse que vai respeitar a decisão do bloco e do governador Belivaldo Chagas.


Vice-governador definido


Já com relação ao vice-governador o deputado estadual Capitão Samuel afirmou que não tem duvidas de que o presidente da Assembléia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), seria o melhor nome a ser indicado. Segundo o parlamentar Luciano deve ser o vice seja qual for o candidato ao governo, pois ele tem o respeito da maioria das lideranças do agreste, devido a sua forma de fazer política, baseada na confiança.


Mudança do nome da Barra dos Coqueiros


Capitão Samuel esclareceu ainda que houve uma confusão quanto a sua proposta de mudar o nome da cidade da Barra dos Coqueiros para cidade Governador João Alves. Segundo ele o que foi apresentado na Assembléia Legislativa não foi um projeto, mas proposta de levar essa discussão para a câmara de vereadores do município.


Segundo o parlamentar trata-se de um reconhecimento ao falecido ex-governador, da importância dele para o crescimento da Barra, principalmente após a construção da ponte, levando desenvolvimento e obras para a cidade. A ideia segundo Samuel é levar essa ideia ao parlamento municipal para que seja realizado um plebiscito no qual a população é quem vai definir essa questão.