Deotap realiza operação de combate a fraude em licitações


O Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) deflagraram nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (22) uma operação para investigar uma organização criminosa. Ela estaria envolvida no desvio de milhões de reais feito por empresas que celebram contratos com empresas públicas, mediante fraude em licitações, preços superfaturados, lavagem de dinheiro, entre outros crimes.


Batizada de “Operação Anagrama”, o trabalho policial durou sete meses, amparado pela Promotoria de Justiça do Cidadão, Especializada nos direitos da Saúde. Os agentes estiveram em 18 endereços dos envolvidos com supostos crimes. Entre eles está em ir contra a lei de licitações, quando da realização de obras e serviços no imóvel situado na Avenida Augusto Franco, no prédio da Secretaria de Estado da Saúde, conhecido como “Taj Mahal”.


O contrato estima que só nesse contrato, há perspectiva de desvio de quantia equivalente a R$ 7 milhões aos cofres públicos, apenas nessa obra, com um aditivo feito ao contrato sem licitação e sem respeitar as exigências previstas em lei. A investigação preliminar revelou indícios de que os envolvidos relacionados praticaram crimes contra a Administração Pública, com claro propósito de enriquecimento ilícito.


No entendimento da Deotap, os investigados possuem vínculo de amizade e fazem parte de um mesmo grupo, hierarquicamente organizado e com tarefas divididas e bem definidas. Todos, inclusive, são representados pelo mesmo escritório de advocacia. O trabalho de busca segue ocorrendo. Ao fina dos trabalhos, a delegada Thaís Lemos, diretora do Deotap, concederá entrevista sobre as investigações.


A operação foi batizada de “Anagrama”. Ela faz referência estratégia dos envolvidos em usar nomes de investigados e empresas de trás para frente, a fim de dificultar a identificação durante o curso do processo investigativo.



Portal C8 Notícias

Foto: Jorge Henrique / SSP