Defesa Civil capacita agentes municipais para emergências climáticas


Nos últimos anos a quantidade de chuva que atinge diversos municípios sergipanos vem chamando a atenção das autoridades. Por conta disto, a Defesa Civil de Sergipe realizou nesta quinta-feira, dia 05, a capacitação de equipes de Defesa Civil dos municípios, com o intuito de prevenir a todos em casos de emergências climáticas.


A abertura do encontro foi feita pelo Secretário da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto, que destacou a importância de ter independência em situações extremas. “Nossa intenção é aprofundar a interação, a interligação da Defesa Civil Estadual com as Defesas Civis municipais. O nosso intuito é que os municípios tenham independência, conhecimento e expertise para gerenciar as suas próprias crises. Os municípios precisam andar com as próprias pernas e para isso nós, do Governo do Estado, daremos toda orientação. Esse seminário é o primeiro passo para autonomia, mas com a certeza que nós, da gestão estadual, sempre continuaremos olhando as características e as necessidades de cada município e região”, explanou.


O meteorologista Overland Amaral destacou o clima em Sergipe nos próximos três meses. A previsão é de chuva acima da média e alerta de eventos extremos com chuvas torrenciais, graças ao fenômeno conhecido como “La Niña”. “Desde o Recôncavo baiano, passando pelos estados de Sergipe e Alagoas, até o Sul e Norte de Pernambuco, a condição é de chuvas de normal à acima da média para o período de maio, junho e julho de 2022. E alertando que, com as condições desse sistema, poderemos ter chuvas torrenciais, instantâneas e momentâneas para o período agora do mês de maio e junho, por isso mesmo, temos a obrigação de estar monitorando e passando para vocês possíveis eventos extremos durante os próximos sessenta dias, que é o que mais chove”, alertou.


No entendimento do Diretor do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel Luciano Queiroz, a prevenção deve ser a máxima dos municípios. “Quando está chegando a quadra chuvosa, a gente precisa preparar os agentes das Defesas Civis dos municípios para que esses possam dar as primeiras respostas para as situações emergenciais aqui no nosso estado. Primeiramente a gente prepara, faz a gestão de riscos antes que o desastre venha a ocorrer. Isso é importante para eles, caso algum evento climático saia do controle eles possam dar algumas respostas para mitigar os efeitos desses desastres relacionados às chuvas”, esclareceu.



Portal C8 Notícias

Fotos: Sedurbs