“Declaração de Alessandro sobre Valmir foi preconceituosa”, destaca Amorim


Na manhã desta sexta-feira, dia 03, o Pré-Candidato a Senador da República, Eduardo Amorim, participou do Programa “Linha Direta” com Jairo Alves de Almeida. Entre os assuntos abordados, ele comentou sobre saúde, agricultura e também destacou o momento político para as Eleições deste ano.


Um dos pontos que Amorim lembrou foi sobre o atual atendimento médico em Sergipe. Para o pré-candidato, existe muito desinteresse dos gestores em fazer um atendimento digno às pessoas. “Infelizmente um estado como nosso, que já foi destaque em transplantes, hoje está sem poder fazer grandes cirurgias. Vejo pouco incentivo dos nossos representantes em investir na área. É algo que me deixa angustiado. Como médico, é desumano”, pontuou.


Ainda sobre saúde, o pré-candidato ao Senado disse que, mesmo com demoras, já se pode ver o inicio do tão comentado Hospital do Câncer. Eduardo Amorim também lembrou a construção do Hospital do Amor no município de Lagarto, que tem á frente o Médico Henrique Prata. “Imagine que marco importante para a medicina de Sergipe. Teremos com fé em Deus dois hospitais referência. Isso só pode ser comparado ao nosso primeiro transplante de coração em 1986. Nosso estado poderá ser referencia para o Brasil todo e, quem sabe, o mundo”, destacou.


No quesito agricultura, Eduardo Amorim destacou a importância de se produzir fertilizantes, a fim de usar em momentos tensos, principalmente na Guerra da Ucrânia. “O Brasil exporta praticamente tudo, seja da Rússia, Ucrânia, Canadá. E pouco é feito daqui. Sabendo que em nosso solo sergipanos temos minérios importantes. Temos a riqueza, falta agora produzir para não depender dos demais países”, destacou.


Sobre política, Amorim destacou a sua saída do PSDB para o Partido Liberal, o mesmo onde está o Presidente Jair Bolsonaro e o Pré-candidatos ao Governo de Sergipe Valmir de Francisquinho. “Vi que era momento de deixar a sigla e procurar outro partido onde estão nossos ideias e nomes de peso. Sempre digo que partido é só um instrumento para atuarmos no meio. Não tenho apego a sigla em si”, afirmou.


Sobre a questão de Valmir de Francisquinho ser julgado no Tribunal Superior Eleitoral, o ex-senador espera que ele possa passar por mais uma prova de fogo nesta caminhada. “Não entendo como questão de cores da gestão podem levadas em consideração só agora. Mas aos poucos ele vai passar por essa, tanto ele como o filho Talysson. Desde o começo que sempre indiquei Valmir para ser o nome do grupo e acho que está seguindo no rumo certo”, comentou.


Perguntado sobre uma declaração do Senador Alessandro Vieira, afirmando que Valmir de Francisquinho não é o novo se andar com Edvan Amorim, o Pré-candidato disse que não entendeu o motivo da fala. “Acredito que o parlamentar foi infeliz. Achei muito preconceituoso. Eu vi Alessandro na sala do meu irmão e conversaram por longo tempo. Ele saiu com uma impressão ruim. Parece que ele está com a propaganda do mal que atrasou Sergipe e tentou destruir a minha história de meu irmão. Apanhamos bastante com o mal caratísmo de pessoas da politica. Alessandro de forma equivocada e rabugenta começou a responder dessa forma incoerente. Mas isso é pó que o vento leva”, desabafou.


Ao final, Eduardo Amorim destacou que não tem mágoas de passar o PSDB para Alessandro Vieira e disse que não tem outra meta a não ser o retorno ao Senado em Brasília. “Não me vejo com plano B. Sempre foi e será um plano A. Já me falaram que tenho jeito de sair sozinho, como chamam ‘puro sangue’. Eu já disse e repito, que é bom sair sozinho do que andar com sangue ruim. Pelo menos no agrupamento de Valmir estamos e permaneceremos, com essa meta do parlamento”, finalizou.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Senado