“Brasil e Sergipe precisam virar a página da política”, declara Alessandro Vieira


Na manhã desta segunda-feira, dia 20, o Senador e Pré-candidato do Governo de Sergipe, Alessandro Vieira do PSDB, esteve no Programa “Linha Direta” com Jairo Alves de Almeida. Ele destacou a ideia de seguir em frente no pleito de outubro, além de comentar sobre iniciativas dele no parlamento em Brasília.


No começo o Pré-candidato disse que o momento já é de muito diálogo com o agrupamento, formado pela federação PSDB e Cidadania. “Tudo já está sendo firmado com esta unidade de siglas. Já temos definido nosso pré-candidato a vice, Milton Andrade, e a pré-candidata ao Senado, a Delegada Danielle Garcia. Vamos agora buscar novos apoios e, o principal, seguir dialogando com a população”, pontuou Alessandro.


Sobre nome ao Palácio do Planalto, o Senador disse que lamentou a desistência de João Dória, mas que já tem um nome definido em grupo. “Simone Tebet do MB será o nosso nome como pré-candidata a Presidência. Uma brilhante colega de parlamento, onde atuamos juntos na CPI da covid. Fiquei muito sentido quando Dória disse que deixaria a política e, consequentemente, a campanha que ele tanto planejou. Mas já estamos em outro sentido e agora é esperar as convenções”, pontuou.


Perguntado o motivo de desistir de ser um pré-candidato ao Planalto, Alessandro Vieira explica que foi por conta da federação com o Cidadania, partido ao qual estava filiado. “Não teria cabimento na federação ter dois pré-candidatos a Presidência. Por isso anunciei a minha desistência e, ao mesmo tempo, minha ida ao PSDB”, explicou.


Ainda questionado sobre os nomes disponíveis na federação, o Senador e Pré-candidato ao Governo afirma que todos têm em mente a grande missão de gerenciar um estado como Sergipe. “Precisamos mostrar a sociedade que o estado tem que ser transformado politicamente. Há tempos a Assembleia virou uma filial do Governo do Estado. Tudo que se envia ao Parlamento é aprovado com poucas argumentações. Temos nomes de filha limpa e sem problemas na justiça. É disso que precisamos destacar junto ao povo”, lembrou Alessandro.


Sobre a relação e Belivaldo chagas com a bancada federal de Brasília, o Senador disse que houve muita falta de diálogo. “Vemos Alagoas, aqui vizinho, Artur Lira e Renan Calheiros são grande opositores. No entanto, quando o interesse é o estado de Alagoas, eles se unem. Aqui em Sergipe pouco vemos isso entre Brasília e o Poder Executivo do estado. Nesse ponto principal, Belivaldo falou bastante”, comentou.


Um dos aspectos que Alessandro Vieira disse que Sergipe precisa mudar é com relação a economia. Para ele, o setor, já mesmo antes da pandemia, já estava estagnado. “É preciso uma chacoalhada econômica no estado. Temos uma crise que perdura mesmo antes da covid-19 e que agora só piorou. Não dá mais para fazer de conta que Sergipe vai muito bem de finanças, mas é preciso melhorar ainda mais isso”, descreveu.


Sobre educação, ele afirma que tem que ser a primeira das prioridades. “Sou Delegado da Policia Civil de Sergipe com muito orgulho. Lido com criminalidade e vejo que ela aumenta em locais onde falta educação. Governo sério que se compromete com o futuro tem que colocar este aspecto em primeiro lugar sempre. Fora disto é perda de tempo”, afirmou.


Ao final, Alessandro Vieira fez severas criticas ao Governo Federal no tocante a falta de gestão da Petrobrás e os constantes aumentos e, no caso e Sergipe, nos atrasos das obras da BR 101 e do canal de Xingó. Para o parlamentar, tudo é falta de uma mudança de pensamento. “O Presidente Bolsonaro quer uma CPI para investigar uma empresa que tem como maior acionista o próprio Governo, que também escolhe a diretoria. A nossa principal rodovia com pontos ainda a fazer e este projeto do canal que ainda não começou. Por essas e outras o Brasil e Sergipe precisam virar a página da política. É preciso novos capítulos para escrever uma história de futuro para nosso país e para o estado”, destacou o Pré-candidato.



Portal C8 Notícias

Fotos: Daniel Reno/Ascom