“As condições que tive me levaram a escolher o PL”, diz Marco Pinheiro


Na manha desta quinta-feira, dia 14, o Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), Marco Pinheiro, foi entrevistado do Programa “Linha Direta”. Ele falou sobre as celebrações dos 150 anos da entidade, além de alguns avanços para o desenvolvimento comercial do estado. Ele também comentou sobre sua pretensão a disputar uma vaga na Assembleia Legislativa.


O líder da Acese destacou de inicio sobre a história da entidade. Para Marco Pinheiro, a instituição tem papel fundamental para o comércio sergipano. “A Acese é sesquicentenária e tem um papel primordial para o Brasil. As associações chegaram com os portugueses para gerenciar essa parte. Em Sergipe estamos com muita luta e com pessoas abnegadas que me antecederam”, pontuou.


Uma das lutas da associação foi sobre a lei das fachadas. Para o Presidente do órgão, a luta foi árdua, mas que o resultado é promissor. “Era uma norma muito danosa. Mas que chegamos ao denominador comum. Por isso devemos ter um grupo de comerciantes forte para lutar e buscar novas metas”, comentou.


Outro ponto abordado foi as constantes lutas para revitalizar o centro comercial de Aracaju. No entendimento do empresário, é preciso fazer algo para retomar a vida do Centro. “Infelizmente a gestão municipal ainda não nos ouviu sobre esse assunto. Temos tantos prédios históricos e com a preservação seria um atrativo para nosso comércio central. Mas boa parte está encoberta por placas. Nosso Centro está degradado”, lamentou Marco Pinheiro.


A falta de regulamentação de médios e pequenos empreendedores também foi discutida na entrevista. Segundo Pinheiro, existe uma falta de interesse por parte dos representantes do povo para que isso saia do papel. “Temos tanta gente que empreende, mas o que dificulta é a burocratização. Pode ser um pequeno comercio, tem que ter uma licença para funcionar. O Governo Federal já pensou nessa área do microempreendedor. E a maioria das empresas sergipanas é formada de microempresas, onde tem a família e mais umas 3 ou 4 pessoas empregadas. Precisamos que os municípios observem isso o quanto antes”, destacou.


Depois de falar sobre empresariado, Marco Pinheiro falou sobre sua pré-candidatura para Assembleia Legislativa pelo Partido Liberal (PL). Ele disse que entrou na política para servir a sociedade. “Sinto falta deste diálogo dos nossos representantes com o setor que gera emprego. Não estou falando de empresas, mas de empregos. Hoje temos um ponto facultativo, tudo bem. Mas e o comércio? Vai vender hoje? O comerciário foi ouvido? Enfim, são coisas que tenho a missão de buscar para a conversa”, destacou.


Ele afirmou que por conta de sua completa independência, ele está entrando no meio político. “Como empresários estamos cumprindo à risca nossos acertos com o poder publico. Muita gente disse para tomar cuidado por falar com Governo e Prefeitura. Não tenho nada contra os administradores, mas é preciso atiçar eles para o diálogo”, apontou o líder da Acese.


Outra ideia que Marco Pinheiro tem nesta pré-candidatura é dialogar com representantes comerciais em cada município. A intenção é que, no futuro, as cidades sergipanas possam ter representantes do comércio nas câmaras municipais. “Quero mostrar a importância que cada cidade tenha um vereador que apareça do lado do comercio. Não queremos alguém de carreira de politica, mas aquele que paga imposto e sofre na pele para manter seus empreendimentos”, comentou.


Sobre a escolha do Partido Liberal, Pinheiro afirmou que tem uma grande afinidade com o Presidente Bolsonaro e demais partidários. “Sempre quis ir para o partido onde o Presidente estivesse. Mas não só tenho admiração ao Bolsonaro. Já havia dialogado com Edvan Amnorim, Valmir de Francisquinho, entre outros nomes da sigla. Foram apresentados cenários do PL. E as condições foram melhores para escolher o partido”, destacou.


Marco Pinheiro também lembrou que, atualmente, o estado de Sergipe está em dia com as contas públicas e também pagando fornecedores e servidores. “Isso é muito bom, pois vemos o comercio aquecido. Belivaldo Chagas fez um trabalho excelente. Posso ter discordâncias com algumas coisas que ele pensa. Mas nisto ele fez um bom trabalho, diferente do governo anterior que foi traumático no quesito das finanças”, lembrou.


Ao final, o empresário comentou sobre uma noticia falsa que estaria colocando contra o Deputado Federal Laercio Oliveira. Neste caso, a questão estaria na escolha do novo presidente da Fecomércio. “Sou amigo de Laércio há mais de 30 anos. Como empresário somos concorrentes. Ele é dono de duas empresas de segurança e eu de uma de porte médio. Cada um tem sua forma de ser. Nos negócios buscamos os diferenciais, mas a amizade continua. Eu não tenho voto. No entanto, gostaria muito que fosse um nome de consenso para a Federação, pois todos são colegas de empresas”, finalizou.



Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão