Aracaju tem o menor custo da cesta básica do Brasil


A capital sergipana voltou a apresentar o menor preço médio da cesta básica entre as 17 capitais brasileiras analisadas. A análise foi feita em março, através da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).


Em Aracaju, o conjunto de itens mínimos para alimentação ficou em R$524,99. O valor registrado repete o cenário favorável ao consumidor divulgado pela instituição em janeiro e fevereiro deste ano.


A cesta básica mais cara do país foi a de São Paulo, onde o preço médio dos produtos chegou a R$ 761,19. Em seguinte, foi registrada a do Rio de Janeiro, com custo de R$ 750,71. De acordo com o levantamento do Dieese, nesse último estado, também teve a maior alta: o preço médio da cesta subiu 7,65%.


Os maiores aumentos a seguir foram em Curitiba (7,46%), São Paulo (6,36%) e Campo Grande (5,51%). A menor variação ocorreu em Salvador (1,46%). Os alimentos que contribuíram para o aumento da cesta são o feijão, pão francês, farinha de mandioca e óleo de soja, que tiveram alta em todas as capitais analisadas na pesquisa.


Com base na cesta mais cara do país, registrada em São Paulo, o Dieese faz o cálculo de qual valor deveria ser o salário-mínimo. Segundo a Constituição, o valor deve ser necessário para pagar as despesas de uma família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. O pagamento deveria ser de R$ 6.394,76 no mês de março. O valor 5,28 vezes o valor do salário mínimo em vigor no país, de R$ 1.212,00.



Portal C8 Notícias

Foto: Agência Brasil