Aracaju registra aumento de crianças com síndrome respiratória grave


O aumento dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças com idade entre 0 e 4 anos foi notado na última semana epidemiológica, o número de crianças internadas nessa idade foi de 7 para 15, representando uma alta de 114,28%. Essa pesquisa é realizada pelo monitoramento de indicadores da Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju.

Foram realizados 522 atendimentos de crianças com sintomas gripais menores de dez anos. Desse total, 342 crianças tinham entre de 0 a 4 anos, compreendendo 65,51% dos atendimentos em crianças menores de 10 anos.


Nesse sentido, diante da alta no número de crianças fora da faixa de vacinação contra a covid, a Secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, alertou sobre a importância de buscar a vacinação contra a influenza para essas crianças com menos de seis anos. “Mesmo nosso estado tendo predominância do clima mais quente, atualmente temos tido períodos com chuvas e essa alteração favorece o surgimento de sintomas gripais. Paralelo a isso, o Município aderiu à Campanha Nacional contra a Influenza, que está imunizando crianças com idade entre seis meses a menor de cinco anos. Portanto, para evitar mais casos de síndromes respiratórias, alertamos os pais e responsáveis para levar as crianças para receber a vacina contra a gripe e protegê-las de quadros respiratórios graves”, orientou.


Até o momento, a Secretaria Municipal da Saúde já vacinou contra a covid-19, com a primeira dose, cerca de 44.708 crianças com idade entre 5 e 11 anos. A vacinação infantil contra a influenza é para crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade. Do início dessa etapa da campanha, no dia 2 de maio, até o momento, foram vacinadas 2.880 crianças.


Para facilitar o acesso ao serviço, 45 salas de vacinas estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade, além da imunização nos 3 shoppings da capital. “Para se vacinar, é necessário apresentar documento de identificação da criança (RG ou certidão de nascimento), comprovante de residência e cartão de vacinação”, lembrou Waneska Barboza.



Portal C8 Notícias

Fotos: Ascom SMS