“Apesar do apreço por Lula, não tem nada certo da ida de JB ao agrupamento”, diz Eliane Aquino


Na manhã desta segunda-feira, dia 25, a Vice-Governadora e pré-candidata a Deputada Federal pelo Partido dos Trabalhadores, Eliane Aquino, foi entrevistada por Jairo Alves de Almeida no Programa “Linha Direta”. Ela destacou a sua caminhada na disputa deste ano e falou sobre o cenário político local e nacional.


Ela iniciou a conversa destacando a pré-candidatura para Deputada Federal. Para Eliane, é importante continuar em busca de espaços, uma vez eu Sergipe ainda não elegeu uma mulher para o Congresso nacional. “Tivemos há alguns anos a Tânia Soares, mas ela entrou na suplência. Eleita mesmo nunca teve uma representante do sexo feminino para representar Sergipe na Câmara. Esse é um projeto importante nessa longa caminhada”, pontuou.


Elaine Aquino também destacou para o cenário político do país. Ela afirma que desde 2016, quando a Presidente Dilma Rousseff sofreu um impeachment, o Brasil vem mergulhando num caos. “Estamos de volta ao mapa da fome. A pandemia piorou ainda mais a nossa situação. E o atual chefe do executivo nacional não tem sensibilidade perante a população. Por isso o nosso olhar como eleitor este ano precisa ser diferente e não colocar de novo os mesmos que prometeram uma nação livre e que estão atrasando a sociedade. Muita gente que seguiu neste pensamento de votar no Presidente hoje já repensam a escolha”, lembrou.


A pré-candidata disse que, diferente do que muitos desejam, é preciso saber separar o que é Eleição e um simples jogo. “Não é uma partida de futebol. Escolher nossos representantes é algo muito sério e que precisa de reflexão. Infelizmente se coloca todos num mesmo local, como se só existissem corruptos. Ai vem o radicalismo e, consequentemente, a violência que estamos acompanhando”, lamentou.


Questionada sobre possível ida de Jackson Barreto ao agrupamento, Eliane Aquino afirma que não tem nada certo. “Até onde sei, ele permanece no agrupamento governista, apesar do encontro que teve na sexta passada. Soube que ele não quer concorrer esse ano e a imprensa comentou essa possibilidade. Jackson tem um apreço muito grande pelo pré-candidato Lula. No entanto, não tem nada ainda certo da ida dele ao agrupamento de Rogério Carvalho”, comentou.


Perguntada sobre a relação de trabalho entre ela, Vice-Governadora, e o Governador Belivaldo Chagas, Eliane Aquino disse que o contato tem sido pouco, mas que ainda o considera como grande gestor. “O Governador é um amigo de todos os momentos. Por conta dos nossos pensamentos políticos estamos em rumos diferentes. Mas não considero isso como um racha, pois o nosso trabalho segue até o fim do ano”, pontuou Eliane.


Ainda sobre a questão de Belivaldo não se candidatar a nada esse ano, a Vice-Governadora destacou que era uma vontade dele de não disputar nada. “Ele confessou para mim que não queria nenhum cargo. Fomos para Eleição de 2018 e já sabia dessa declaração. Vejo como um gesto de pessoa de palavra”, afirmou.


Provocada sobre o apoio a Lula do pré-candidato ao Governo e oponente, Fábio Mitidieri, Eliane Aquino destacou que não tem nada contrario, pois essa Eleição promete ser diferenciada. “Quanto mais declarações como a dele é bom. Não sou contrario ao pensamento de Fábio. Mas esse momento é de uma profunda reflexão. Estamos na disputa entre a retomada da democracia ou o fortalecimento do fascismo. É preciso que todos fiquem em alerta”, argumentou.


Ainda sobre a diferenciação de palanques a nível local e nacional, a pré-candidata a deputada federal afirma que isso pode ser uma grande confusão na cabeça do eleitor. “Vivemos momentos tensos, com população passando fome e um governo que não ouve o clamor., Ainda por cima temos varias declarações sobre que m é contra ou a favor num mesmo grupo. Por isso é preciso deixar claro quem é quem na disputa”, respondeu.


Ao final a Vice-Governadora falou sobre as últimas declarações do ex-presidente Michel Temer, que disse a uma revista nacional que Dilma Rousseff era inocente e não soube articular com o Congresso para evitar o impeachment. No entendimento dela, esse ato mostra uma suposta esperteza dele. “Temer foi um grande articulador do golpe de 2016 e agora quer pegar carona no MDB para ser lembrado. Sobre isso que toda a sociedade precisa saber quem é quem, a fim de que novos ataques a democracia não venham a ocorrer”, finalizou Eliane Aquino.



Portal C8 Notícias

Foto: Assessoria/divulgação