André Moura diz que CPI do Senado poderá servir de palanque para 2022



O presidente do diretório estadual do Partido Social Cristão PSC, ex-deputado federal André Moura, foi o entrevistado desta quinta-feira, 15, do programa Linha Direta, apresentado por Jairo Alves de Almeida. Inicialmente Moura comentou sobre a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito CPI do Senado, para apurar falhas do governo federal na condução da pandemia. Para ele toda CPI tem um fundo político, especialmente a um ano de uma eleição. Ele reconhece a crise sanitária e econômica oriunda da pandemia, que torna o momento complicado. Para André o momento deve ser na direção de encontrar soluções para as pessoas afetadas pela crise. Ele analisa que a CPI é importante, mas dentro de uma abordagem republicana, porque a comissão pode servir de palanque, criando um clima de instabilidade visando o pleito do próximo ano. André Moura reconheceu falhas na condução do combate a pandemia pelo governo federal, a falta de planejamento, principalmente, como por exemplo, na compra das vacinas, e não tem cloroquina ou outra solução mágica.


André Moura, que é secretário de Representação do Governo do Rio de Janeiro em Brasília, falou sobre o problema da falta de insumos para o tratamento da Covid-19 no estado fluminense. Ele disse que o estado vem buscando parcerias para evitar que a saúde entre em colapso, através de parcerias com o governo federal e também com iniciativas para a compra dos insumos, que podem nas próximas 24 horas resolver essa ameaça. Outra ação da sua pasta é a busca de recursos para a construção de restaurantes populares no Rio de Janeiro e viabilizando a compra de vacinas.

Eleições 2022

Para André Moura a discussão sobre o pleito do ano que vem deve ficar em segundo plano, e agora o debate deve ser focado no combate a pandemia. Apesar de reconhecer que as discussões nos bastidores existem, como nomes sendo citados para a disputa ao governo do estado, como do Conselheiro do TCE Ulices Andrade, os deputados Fábio Mitidieri e Laércio Oliveira, e também do senador Rogério Carvalho, André acredita que essa discussão deve ser intensificada a partir do segundo semestre, após uma maior vacinação da população e as definições das regras para o pleito do ano que vem.

Questionado sobre se seu nome estará na disputa na chapa majoritária ou proporcional, o ex-deputado disse que está à disposição para contribuir com Sergipe, e passando a fase crítica da pandemia, vai decidir com seu bloco se disputará uma vaga na câmara ou no senado.

André falou ainda que recebeu convite de várias siglas para deixar o PSC. Ele disse que já conversou com o PSL, Republicanos, DEM e PDT. Mas o ex-deputado afirmou que passada a pandemia tomará essa decisão.