“A intenção é trabalhar e não só defender nomes”, diz Anderson Gois


Na manhã desta quarta-feira, dia 1º de junho, o Pré-candidato a Deputado Federal pelo União Brasil, Anderson Gois, participou do Programa “Linha Direta” com Jairo Alves de Almeida. Ele comentou sobre seu projeto para o pleito deste ano e destacou alguns pontos sobre educação.


De inicio, Anderson foi questionado sobre o motivo de não ter participado da política nos últimos anos. Ele afirmou que estava se preparando, além de se dedicar a área de ensino, já que atua como professor. “Estava me preparando, sem muitas pretensões, até que minha filha citou aquela frase célebre de Martin Luther King, ‘o que me preocupa não é o barulho dos maus mas o silêncio dos bons’. Isso me deixou pensativo. E ai veio a ideia de retornar a área. Estive pro 8 anos no Republicanos, já disputei a Câmara de Aracaju, mas assumi apenas como suplente”, detalhou.


O pré-candidato a Federal afirmou que a sigla em Sergipe está se planejando para, no mínimo, ter 2 eleitos para a Câmara em Brasília. “O União Brasil, apesar de pouco tempo da fusão do PSL com o DEM, tem um bom time. Além de mim, temos os Deputado Federal Fábio Henrique, o ex-deputado André Moura, entre outros nomes. É um bom time que está se articulando para o pleito de 2022”, comentou.


Anderson Gois também destacou o sistema de escolha dos representantes da Câmara dos Deputados, após a mudança de algumas questões eleitorais. Para ele, existe uma tendência de candidatos vencerem com um coeficiente menor, se comparado aos outros anos. “A tendência é das votações para Federal sofrerem uma diminuição da quantidade de votos, pois existe agora a figura a federação ao invés de ser uma coligação. Ou seja, a mira agora é ter uma ideologia partidária mais forte”, explicou.


Ainda sobre o processo de escolha em si, Anderson disse que é favorável a escolha pela quantidade individual de cada um. “Na coligação tínhamos os votos de todos misturados. Na federação é um pouco diferente. Mesmo assim o candidato que tiver muitos votos pode acabar não entrando, a exemplo do que já aconteceu com Emília Corrêa e o saudoso Pedrinho Valadares. Eu sou favorável pela maioria de votos. Se a pessoa chegou, é o vencedor”, destacou o pré-candidato.


Perguntado sobre apoios locais e nacionais, Anderson Gois disse que cada um terá o seu pensamento e que a ideia a partir de agora é ter uma disputa mais regionalizada. “O União Brasil lançou nesta terça-feira o Pré-Candidato a Presidente Luciano Bivar. É claro que a tendência do partido aqui é apoia-lo, mas no nosso agrupamento, que tem à frente o Pré-candidato ao Governo Fábio Mitidieri, é natural que cada um tenha seu pensamento. Isso tudo vai fica definido quando a disputa começar. O ideal é trabalhar pelo grupo e não apenas defender nomes”, pontuou.

Anderson também foi perguntado quais os nomes que poderia apoiar para o Senado. Ele disse que não pode falar pela direção, pois não faz parte, mas que seguirá o que o agrupamento definir. “Temos o líder que é o Governador Belivaldo Chagas. O que ele juntamente com Fábio apoiar estaremos juntos. Tudo vai depender do entendimento do grupo”, lembrou.


Entre assuntos discutidos na entrevista, Anderson Gois chamou atenção para a educação. Ele disse que, caso seu nome passe nas convenções e seja escolhido no pleito, terá a luta do empreendedorismo como foco. “A ideia é que, não só as universidades, mas também as escolas tenham o empreendedorismo como matéria. É preciso colocar aos nossos jovens a ideia de crescimento profissional e não ficar apenas dependendo de procurar emprego em poucos locais”. Comentou.


Ao final, o pré-candidato destacou sua preocupação com a fome e o desemprego, em especial no Estado de Sergipe. “Temos cerca de 500 mil pessoas na linha da pobreza. Deste total, 36% tem insegurança alimentar. Por isso eu os futuros eleitos devem se preocupar com isso e evitar que o país volte ao mapa da fome, criando condições de sustento para as pessoas”, afirmou Anderson Gois.



Portal C8 Notícias

Fotos: Rozendo Aragão